Sobe para 16 o número de mortos pelo maior temporal em Moscou em um século

Em Moscou

O número dos mortos em decorrência do maior temporal com vento em um século que ocorreu na segunda-feira (29) em Moscou e seus arredores aumentou para 16, informaram nesta terça-feira fontes oficiais.

Na capital russa, o mau tempo tirou a vida de 11 cidadãos e nos seus arredores morreram outras cinco pessoas, a maioria por queda de árvores.

O temporal atingiu Moscou durante algumas horas, arrancou milhares de árvores e causou interrupções no tráfego e na eletricidade.

Cerca de 150 pessoas foram hospitalizadas e mais de cem permanecem ainda nos hospitais da capital, entre elas, 22 crianças, precisaram fontes da área de saúde.

O Centro de Atendimento Psicológico de urgência recebeu mais de 400 ligações telefônicas.

Em alguns lugares da região de Moscou, há registros de mais de 30 mm de precipitações, o que representa mais de 60% da média mensal.

O prefeito de Moscou, Sergey Sobianin, expressou seu pêsame aos familiares das vítimas, e escreveu na sua conta no Twitter que as autoridades tomam as medidas necessárias para diminuir as consequências do desastre natural.

Os ventos deixaram sem eletricidade mais de 18,3 mil pessoas na província de Moscou.

Os meteorologistas advertiram que o clima na região central da Rússia se manterá instável durante vários dias e não descartam a repetição do fenômeno devido à proximidade de uma nova frente fria.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos