Consumo precoce de pornô aumenta probabilidade de misoginia, aponta estudo

Washington, 4 ago (EFE).- Os homens que consomem pornografia infantil estão mais inclinados à misoginia, segundo um estudo apresentado nesta sexta-feira na convenção anual da Associação Americana de Pediatria (APA).

O estudo foi baseado em entrevistas com 330 estudantes entre 17 e 54 anos de uma "grande universidade" do Meio Oeste dos Estados Unidos, que os pesquisadores não identificaram.

"Percebemos que quanto mais jovem é um homem ao consumir pela primeira vez pornografia, mais provável é que queira ter poder sobre as mulheres", disse a estudante de doutorado da Universidade de Nebraska Alyssa Bischmann, que apresentou o estudo.

"Quanto mais velho é um homem ao consumir pela primeira vez pornografia, mais provável é que queira ter um comportamento de 'playboy'". acrescentou.

A idade média para o primeiro consumo de pornografia entre os 330 entrevistados foi de 13,3 anos, sendo 5 anos a menor e 26 a maior.

O primeiro contato de 46,5% foi "acidental", de 33,4% "intencional" e de 17,2% "forçado".

A coautora do estudo, Chrissy Richardson, disse que os achados do estudo foram inesperados, já que esperavam que ambos comportamentos - misoginia e 'playboy'- se associassem a um consumo precoce do pornô, se baseando nos "papéis de gênero na socialização" e na "exposição à mídia".

85% dos participantes do estudo eram homens brancos, e 93% heterossexuais.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos