Governo decreta estado de emergência em Nova York para enfrentar tempestade

Nova York, 4 jan (EFE).- O governador de Nova York, Andrew Cuomo, declarou estado de emergência em várias áreas do estado, incluindo a cidade de Nova York, perante a forte tempestade que já se faz sentir desde as primeiras horas desta quinta-feira.

"Não é uma tempestade de neve normal, é uma tempestade de neve mais ventos de grande velocidade, que criam uma situação grave", afirmou Cuomo em entrevista coletiva para dar informação atualizada sobre a situação.

O estado de emergência afeta toda a região sul do estado, que inclui a cidade de Nova York e a região de Long Island, e permite às autoridades, entre outras coisas, adotar decisões que se anteponham às das administrações locais.

A medida também outorga ao estado poderes especiais para lutar contra o temporal, sem necessidade de recorrer à aprovação legislativa, e contratar diretamente recursos ou equipamentos que sejam necessários pela emergência meteorológica.

Cuomo declarou que, a princípio, não foi cogitada a possibilidade de suspender o serviço no metrô suburbano da cidade de Nova York, utilizado diariamente por milhões de pessoas, nem o trânsito nas estradas do estado.

Por outro lado, abriu a possibilidade de que possa ser proibido o tráfego de veículos pesados em algumas pontes e rotas.

"Podemos fazer frente a uma tormenta de neve, mas se você acrescenta fortes ventos, haverá problemas", acrescentou o governador.

Os ventos mais fortes que se esperam ao longo do dia de hoje estão entre 40 e 55 quilômetros por hora, com sequências de até quase 100 quilômetros por hora.

"É quase impossível limpar as estradas quando temos essas sequências de vento, que voltam a trazer neve sobre as ruas", destacou Cuomo na coletiva de imprensa.

A área que enfrenta maiores riscos é Long Island, situada ao longo da costa atlântica, onde o temporal de neve começou a causar impacto com força na primeira hora de hoje.

Em um dos seus condados, Suffolk, as autoridades já declararam estado de emergência.

Por sua parte, Joseph Lotha, responsável pela rede de transporte público do estado, que inclui o metrô da cidade de Nova York, disse que a princípio não está prevista a suspensão de nenhum serviço, embora em muitos casos estejam ocorrendo atrasos.

Além disso, as autoridades anunciaram o cancelamento de muitos voos com destino ou origem nos aeroportos de JFK, LaGuardia e Newark, que servem Nova York, e disseram que as operações estão em estado de alerta.

Às 10h (horário local, 13h de Brasília), o aeroporto de Newark, em Nova Jersey, tinha cancelado hoje 875 voos com destino ou origem nesse terminal, além de 331 em JFK e 540 em LaGuardia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos