Pesquisadores determinam energia mínima para apagar um bit

Zaragoza (Espanha), 6 abr (EFE).- Uma equipe internacional conseguiu determinar a energia mínima necessária para apagar um bit de informação magnética, um trabalho publicado na revista "Nature Physics".

O estudo permite demonstrar que é possível processar a informação armazenada em computadores ou telefones celulares de uma forma mais eficiente, segundo explicaram fontes da Universidade de Zaragoza (Espanha), que colaborou no estudo com as Universidades de Delft (Holanda) e Kioto (Japão).

Atualmente, calcula-se que o uso de dispositivos eletrônicos que armazenam informação leva a um consumo eletrônico que alcança quase 5% da energia consumida em nível mundial em tarefas relacionadas com a informática.

A energia mínima está associada com ao apagamento da memória e aparece como consequência do segundo princípio da Termodinâmica, que afirma que o Universo tende de maneira espontânea a aumentar sua desordem.

Para realizar o estudo, os pesquisadores submeteram um cristal de moléculas magnéticas a temperaturas de zero absoluto em laboratórios.

Desde a Universidade consideram que este achado é promissor porque mostra um método para aproveitar atalhos quânticos para realizar computação de maneira eficiente e, por sua vez, rápida.

Desta maneira, também fica demonstrado que a computação quântica é mais potente na hora de resolver problemas como a busca em grandes bases de dados e que pode conseguir uma maior eficiência energética do que a computação convencional.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos