Cosmonautas inspecionarão nave Soyuz por fora após perda de pressão

Moscou, 14 set (EFE).- Os cosmonautas russos Sergei Prokopiev e Alexei Ovchinin inspecionarão o casco da nave Soyuz MS-09 na Estação Espacial Internacional (ISS) para confirmar que não apresenta danos adicionais após a descoberta de um buraco.

"Ainda não há uma data fixada, mas realizarei a tarefa com Sergei Prokopiev", disse Ovchinin à imprensa antes de realizar os últimos testes no Centro de Treinamento de Cosmonautas russos para sua viagem à ISS no dia 11 de outubro junto com o astronauta da Nasa Nick Hague.

O cosmonauta confirmou na quinta-feira que a missão está relacionada tanto com "tarefas que foram determinadas há algum tempo, como com algumas novas, surgidas após a recente perda de pressão na nave Soyuz", por conta do buraco.

Por sua vez, uma fonte da indústria espacial russa disse nesta sexta-feira à agência "RIA Novosti" que a viagem ao espaço dos cosmonautas pode acontecer em novembro.

"Oficialmente (a ida ao espaço) será para realizar trabalhos de manutenção da parte de fora da ISS, mas a tripulação também inspecionará o casco da nave por fora por conta dos possíveis danos", disse a fonte.

Ao comentar o incidente na Soyuz MS-09, Ovchinin afirmou ontem que não tem medo de viajar no dia 11 de outubro para a plataforma orbital a bordo da nave Soyuz MS-10.

"A Soyuz foi, é e será o aparelho espacial mais seguro", concluiu o cosmonauta.

Ao mesmo tempo, ele disse que tem uma versão sobre o que pode ter causada a perda de pressão na nave, mas prefere esperar o fim da investigação oficial das autoridades antes de torná-la pública.

No final de agosto, os sistemas da ISS detectaram uma pequena perda de pressão por causa de um minúsculo buraco no casco da Soyuz MS-09, que em um primeiro momento a agência espacial Roscosmos atribuiu ao impacto de um micrometeorito.

No entanto, fontes da indústria espacial afirmaram que o buraco foi perfurado depois que a nave foi totalmente montada, o que apontaria para uma sabotagem em seu interior.

Os cosmonautas russos que estão a bordo da plataforma espacial repararam o vazamento, após o que verificaram duas vezes, com um intervalo de várias horas, a pressão do casco da nave.

A Rússia informou que o incidente em nenhum momento colocou em perigo a tripulação da plataforma, onde atualmente se encontram os russos Oleg Artemiev e Sergei Prokopiev; os americanos Drew Feustel, Ricky Arnold e Serena Auñón-Chancellor; e o alemão Alexander Gerst.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos