Mangkhut toca terra em Filipinas com ventos de até 285 km/h

Manila, 15 set (EFE).- O tufão Mangkhut, o mais poderoso a chegar às Filipinas nos últimos 50 anos, tocou terra na cidade de Baggao, no nordeste do país, com rajadas de vento de até 285 km/h.

Com categoria 5, a máxima na escala Saffir-Simpson, Mangkhut entrou no território filipino à 1h40 de sábado (horário local; 14h40 de sexta-feira em Brasília), segundo a agência de serviços meteorológicos do país, Pagasa.

O fenômeno climático se intensificou nas últimas horas e se desloca a 35 quilômetros por hora, rumo a Hong Kong (China), onde deve chegar na tarde de sábado.

Segundo o último boletim da Pagasa, o olho de Mangkhut - furacão que nas Filipinas é chamado de Ompong - traz consigo ventos constantes de 205 km/h, fortes chuvas e ondas de até 6 metros no litoral.

Sete províncias da metade norte da ilha de Luzon (Cagayan, Isabela, Ilocos Norte, Apayao, Abra, Kalinga e Babuyan) decretaram alerta de nível 4 - em uma escala que vai até cinco. Na região, onde mais de 13 mil pessoas deixaram suas casas antes da chegada do tufão, os ventos estão entre 171 km/h e 220 km/h.

A expectativa do governo local é que Mangkhut afete a vida de 5,2 milhões de filipinos que vivem em um raio de 125 quilômetros da trajetória prevista pela Pagasa.

O governo das Filipinas alertou que o poder de destruição de Mangkhut pode ser semelhante ao de Haiyan, um supertufão que deixou mais de 7 mil mortos e desaparecidos no país em novembro de 2013.

No entanto, a região afetada pelo Mangkhut é menos povoada e também é protegida por montanhas que minimizam o impacto do fenômeno climático. Por isso, o número potencial de vítimas é menor.

As autoridades do país afirmaram estar preparadas para que o tufão passe pelo país sem deixar vítimas e mobilizaram US$ 30 milhões para uma resposta emergencial ao Mangkhut.

A Cruz Vermelha estima que o número de afetados pelo tufão será de 10 milhões. A diferença no cálculo é que a organização humanitária leva em consideração as pessoas que vivem da agricultura na região de Luzon e as perdas que elas sofrerão devido à passagem do Mangkhut pelas plantações.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos