Topo

Soyuz decola com 3 astronautas em 1º lançamento após missão fracassada

Kirill Kudryavtsev/AFP
Nave Soyuz MS-11 é lançada do Casaquistão rumo à ISS (Estação Espacial Internacional) Imagem: Kirill Kudryavtsev/AFP

Em Moscou

03/12/2018 10h54

A nave Soyuz MS-11, com três expedicionários a bordo, foi lançada nesta segunda-feira da base de Baikonur rumo à Estação Espacial Internacional (EEI), informou o Centro de Controle de Voos Espaciais (CCVE) da Rússia.

É o primeiro voo espacial tripulado desde o acidente sofrido no dia 11 de outubro por uma nave da mesma série, a Soyuz MS-10, devido a um falha no foguete portador dois minutos depois do seu lançamento, sem deixar vítimas entre seus tripulantes.

A bordo da Soyuz MS-11 viajam o cosmonauta russo Oleg Kononenko, o astronauta canadense David Saitn-Jacques e a americana Anne McLain.

Na ISS, à qual chegarão depois dar três voltas em torno da Terra, serão recebidos pelo comandante Alexander Gerst da Agência Espacial Europeia, a engenheira de voo da NASA Serena Auñón-Chancellor e o também engenheiro de voo da Roscosmos, a agência espacial russa, Sergei Prokopiev.

Minutos depois do lançamento, o CCVE informou que a Soyuz MS-11 tinha alcançado a órbita programada e iniciado seu voo autônomo para a estação.

O voo da Soyuz MS-11, programado inicialmente para o dia 20 dezembro, teve que ser antecipado devido ao acidente de 11 de outubro, o primeiro de uma nave dessa série em 35 anos.

A ISS, um projeto de mais de US$ 150 bilhões do qual participam 16 nações, atualmente é integrada por 14 módulos permanentes e orbita a uma velocidade de mais de 27 mil quilômetros por hora a uma distância de 400 quilômetros da Terra.