Jipe-robô Curiosity, da Nasa, pousa com sucesso em Marte

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação/Nasa

    Foto em baixa resolução feita com lente empoeirada mostra roda do Curiosiity sobre o solo marciano

    Foto em baixa resolução feita com lente empoeirada mostra roda do Curiosiity sobre o solo marciano

Maior e mais sofisticado veículo de exploração já enviado a outro planeta, o jipe-robô Curiosity (Curiosidade, em inglês), da Nasa, pousou com sucesso em Marte, às 2h31 (horário de Brasília), desta segunda-feira (6). Depois de uma viagem de 570 milhões de quilômetros no espaço - que durou oito meses e meio - o Curiosity chegou ao Planeta Vermelho para buscar pistas mais concretas sobre a possibilidade de ter existido alguma forma de vida por lá no passado.

"Estou inteiro e a salvo na superfície de Marte", diz uma mensagem no blog da Nasa, que deu lugar a uma comemoração com aplausos e abraços entre o pessoal da sala de controle do JPL (Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa) em Pasadena, na Califórnia (EUA). "Cratera Gale, aqui estou!", acrescentou a mensagem.

Essa é a missão mais ambiciosa e cara da Nasa a Marte, com custo de US $ 2,5 bilhões. Segundo um comunicado do subdiretor da agência espacial norte-americana, John Grunsfeld, a parte mais difícil já foi concluída. "Pousar Curiosity em Marte será a missão mais difícil já empreendida pela Nasa na história da exploração robótica planetária", destacou antes do pouso.

Pouso é uma das missões mais difíceis da Nasa
Veja Álbum de fotos

Lançado em 26 de novembro de 2011 de Cabo Cañaveral, o jipe de seis rodas que tem o tamanho de um carro pousou na zona do monte Sharp (5.000 metros), na cratera de Gale. Para alcançar um ponto tão preciso, a nave que transportava o Curiosity voou na alta atmosfera marciana em lugar de descer diretamente ao solo.

Os responsáveis pela missão explicam que, ao contrário das sondas precedentes, a Curiosity era muito pesada para que seu impacto no solo fosse amortecido apenas por bolas de ar. Por isso,  os engenheiros da Nasa no Laboratório de Propulsão a Jato, na Califórnia, conceberam uma espécie de "guindaste" que nos últimos segundos da descida depositou o jipe-robô, do tamanho de um automóvel, delicadamente sobre o solo marciano. 

Antes deste momento final, a nave espacial foi sustentada por um paraquedas gigante e experimentou os sete minutos mais críticos de toda a missão, quando passou de 21.243 km/h a 2,74 km/h.

Agora, a Nasa pode se gabar de, mais uma vez, vencer a chamada "maldição de Marte" - desde 1960, mais de quarenta missões foram organizadas para estudar nosso vizinho e mais da metade terminou em fracasso. (com Efe)

Veja outras missões já enviadas ao Planeta Vermelho
Veja Álbum de fotos

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos