Topo

Ao contrário de humanos, cães e gatos veem luzes ultravioleta, diz estudo

Thinkstock
Imagem: Thinkstock

Do UOL, em São Paulo

2014-02-27T06:00:00

27/02/2014 06h00

Você alguma vez já pegou seu gato ou cachorro olhando para algum canto vazio de casa? A cena, corriqueira para quem tem animais de estimação e capaz de pôr medo em muita gente crescida, tem agora uma explicação científica.

É que segundo uma pesquisa conduzida por biólogos da City University London, na Inglaterra, esses animais têm a capacidade de enxergar luzes ultravioleta, que produzem cores que a visão humana não vê.

"Nunca se pensou que esses bichos pudessem enxergar em ultravioleta, mas eles podem", disse, na divulgação do estudo, o cientista Ron Douglas. Seres humanos enxergam tons do vermelho ao violeta — ao passo que as ondas de luz ultravioleta estão além dessa combinação.

LEIA MAIS

  • Getty Images

    Cães processam emoções de forma similar a seres humanos, mostra estudo

  • Thinkstock/Getty Images

    Cães bocejam para imitar os donos

  • Thinkstock

    Cachorros se comunicam pelo lado que balançam o rabo

E por que animais teriam a capacidade de enxergar esses outros comprimentos de onda? Por diversas finalidades: abelhas e insetos, por exemplo, a usam para ver tons nas plantas que os atraiam ao néctar. Já renas, graças a essa capacidade, podem identificar um predador como o urso polar, cuja pelagem branca se mistura à cor da neve. Além desses bichos, muitos outros animais, incluindo pássaros e peixes, também enxergam outras luzes.

Em comum a todos os animais capazes de enxergar a luz ultravioleta está o processo normal de visão: a luz atinge a retina, que a converte em estímulos nervosos enviados ao cérebro, que então a percebe.

Luz passando pela retina

Para chegar à descoberta de que cães e gatos também enxergam em ultravioleta, os biólogos analisaram olhos (doados por zoológicos e clínicas veterinárias) de diversas espécies de animais mortos. De macacos a pandas-vermelhos.

A partir daí, mediram como a luz passava pelas lentes de cada olho de animal até chegar a suas respectivas retinas.

O procedimento mostrou aos pesquisadores que os olhos de cães e gatos (assim como os de porcos-espinho, ferrets e okapis, um parente africano das girafas) permitem a absorção de luzes ultravioleta, sugerindo que teriam a capacidade de, assim, enxergá-la.