Topo

Clique Ciência: Por que alguns planetas brilham à noite?

Do UOL, em São Paulo

2014-03-11T06:00:00

11/03/2014 06h00

Uma das primeiras ‘estrelas’ a aparecer no céu quando a noite cai não é realmente uma estrela: Vênus, o planeta que está à nossa frente em relação ao Sol, é um dos mais brilhantes na abóbada celeste. Outro planeta que pode ser facilmente identificado a olho nu é Marte, com seu característico brilho avermelhado.

Podemos ver alguns planetas brilhando como estrelas à noite porque eles estão sendo iluminados pelo Sol. Se o nosso astro-rei apagasse de repente, não veríamos mais nossos “irmãos” de Sistema Solar.

As cores que os planetas refletem têm a ver com o tipo de material de que são feitos. Vênus, por exemplo, é totalmente coberto por uma espessa atmosfera formada por nuvens. É por isso que tem um brilho branco. Ele ainda parece ser o mais brilhante dos planetas porque ele está perto da Terra.

Já a superfície do planeta vermelho é basicamente composta por minerais de ferro oxidados. Essas partículas enferrujadas empoeiram a atmosfera, deixando-o avermelhado.

Júpiter e Saturno também são planetas visíveis a olho nu. Mas, para conseguir enxergá-los, é preciso que o céu esteja sem nuvens, e o local de observação, livre da poluição luminosa. E nem sempre é possível ver todos os quatro numa mesma noite: dependendo da posição deles no espaço, eles podem se situar no campo de visão da Terra quando ainda é dia - e, na luz do Sol, é impossível enxergar os planetas e estrelas distantes.

Como distinguir planetas de estrelas

Estrelas e planetas brilham. Mas é possível perceber sutis diferenças entre planetas e estrelas que visualizamos à noite, no céu. Os planetas estão muito mais perto da Terra. Por isso, eles vivem mudando de posição. Já as estrelas ficam mais distantes (e bota distância nisso! A estrela mais próxima do Sol fica a 4,22 anos-luz). Por causa da distância, é mais difícil perceber que elas também estão se movendo. A sensação, daqui da Terra, é de que elas estão sempre na mesma posição.

Mesmo sendo muito brilhantes, as estrelas ficam tão longe daqui que as luzes emitidas por elas chegam como pontos luminosos que “piscam”. O cintilar das estrelas é causado pela interferência da atmosfera terrestre na percepção das luzes que vêm do espaço. Já os planetas estão mais perto e cintilam menos, porque a luz refletida por eles não está tão longe, e ela não sofre tanta alteração quando passa pela nossa atmosfera turbulenta.

Vênus, que está perto do Sol, normalmente é visto próximo ao horizonte - região da abóboda celeste onde a turbulência é mais aparente. Por isso, é mais comum ver o seu brilho oscilar.

Fontes: site Solar System Exploration, mantido pela Nasa, site do Departamento de Astronomia do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da USP e livro “O Céu que nos Envolve - Introdução à Astronomia para Educadores e Iniciantes (edição e coordenação: Enos Picazzio. Odysseus Editora).

Imagens do espaço 2014
Imagens do espaço 2014
$escape.getHash()uolbr_tagAlbumEmbed('tagalbum','9158', '')

Mais Ciência e Saúde