Topo

Telescópio registra nuvem de poeira capaz de formar planetas

JPL-Caltech/Nasa
Spitzer registrou erupção de poeira causada pela colisão de dois entre asteroides Imagem: JPL-Caltech/Nasa

Do UOL, em São Paulo

2014-08-29T05:00:00

29/08/2014 05h00

O telescópio espacial Spitzer da Nasa registrou uma erupção de poeira em volta de uma estrela jovem, possivelmente resultante da colisão entre grandes asteroides. Esse tipo de impacto pode eventualmente levar à formação de planetas.

Cientistas rastreavam a estrela batizada de NGC 2547-ID8, quando surgiu uma enorme quantidade de poeira entre agosto de 2012 e janeiro de 2013. "Nós acreditamos que dois grandes asteroides colidiram um com o outro, criando uma enorme nuvem de grãos semelhantes a areia bem fina, que estão se quebrando em pedaços menores e se afastando lentamente da estrela", disse o principal autor do estudo e estudante de graduação Huan Meng, da Universidade do Arizona (EUA). A pesquisa foi publicada nesta quinta-feira (28) na revista Science.

O Spitzer já tinha observado poeiras oriundas da colisão entre asteroides, mas essa é a primeira que vez que os cientistas conseguem coletar dados antes e depois da colisão. A visualização oferece um vislumbre do violento processo de formação de planetas rochosos como a Terra.

Planetas rochosos iniciam a vida como material de poeira circulando em torno de estrelas jovens. Os aglomerados desse material se juntam para formar asteroides, que crescem de tamanho ao longo do tempo e se transformam em proto-planetas. Depois de cerca de 100 milhões de anos, os objetos evoluem para planetas maduros, terrestres. A lua pode ter surgido justamente da colisão entre a proto-Terra e um objeto do tamanho de Marte.