Topo

Brasileiros descobrem nova espécie de pterossauro e a chamam de 'avatar'

Maurílio Oliveira/Museu Nacional/UFRJ
Espécie foi batizada de Ikrandraco avatar por semelhanças com "ikran" no filme Avatar Imagem: Maurílio Oliveira/Museu Nacional/UFRJ

Do UOL, em São Paulo

11/09/2014 21h44

Paleontólogos brasileiros, integrantes de uma equipe de pesquisadores sino-brasileira, descobriram o fóssil de uma espécie de pterossauro que viveu há 120 milhões de anos, no período Cretáceo. A descoberta foi feita durante as escavações nas colinas da província de Liaoning, nordeste da China, na chamada Formação Jiufotang --um depósito de fósseis do período Cretáceo-- e, devido à sua aparência foi batizado de Ikrandraco avatar --draco em latim quer dizer dragão--, por ser semelhante aos predadores aéreos chamados "ikran" no filme Avatar (2009), do diretor James Cameron.

A descoberta foi publicada nesta quinta-feira (11) na revista "Scientific Reports", assinada pelos pesquisadores brasileiros Alexander W. A. Kellner, do Laboratório de Sistemática e Tafonomia de vertebrados fósseis, do Departamento de Geologia e Paleontologia, Museu Nacional/Universidade Federal do Rio de Janeiro, e Taissa Rodrigues, do Departamento de Biologia, Centro de Ciências Agrárias, da Universidade Federal do Espírito Santo.

Os cientistas investigaram dois espécimes lateralmente achatados de Ikrandraco. O animal tinha 0,7 metro de comprimento e uma envergadura de cerca de 1,5 metro. Possuía um crânio alongado e uma crista em forma de lâmina na ponta da sua mandíbula.

De acordo com os pesquisadores, a forma particular do crânio do animal demonstra um hábito alimentar diferente dos demais pterossauros. Os Ikrandraco seriam capazes de dar voos rasantes e teriam uma pele extensível na mandíbula, que atuaria como uma bolsa de garganta semelhante à encontrada em pelicanos.

Os pterossauros foram os primeiros vertebrados a adquirirem a capacidade de voar. Eles são os maiores animais alados que se tem notícia e foram extintos no impacto catastrófico de um asteroide com a Terra, que acabou com a era dos dinossauros (que compreende os períodos Triássico, Jurássico e Cretáceo, da era Mesozoica). Embora tenham convivido com os dinossauros, esses répteis voadores não eram dinossauros. 

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Newsletters

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero receber