Nasa pede que pessoas não toquem em destroços do foguete

Do UOL, em São Paulo

  • Kevin Lamarque/Reuters

    Mulher se ajoelha ao lado de um pedaço do foguete Antares na Virgínia (EUA)

    Mulher se ajoelha ao lado de um pedaço do foguete Antares na Virgínia (EUA)

Autoridades investigam desde a manhã desta quarta-feira (29) as causas da explosão do foguete não tripulado logo após o seu lançamento de uma plataforma de lançamento na Virgínia, nos Estados Unidos, ocorrido na noite de ontem.

Durante conferência de imprensa concedida pelo presidente e diretor executivo da Orbital Sciences Corporation, David W.  Thompson, na tarde desta quarta-feira (29), uma série de ações estão sendo tomadas pela Nasa (Agência Espacial Norte-Americana) e National Transportation Safety Board -- órgão responsável pela investigação de acidentes aéreos -- para descobrir as causas do acidente. "Neste momento, é muito cedo para saber exatamente quanto tempo esse processo vai levar e se isso vai afetar as missões (da empresa) programadas para o próximo ano", disse.

Segundo a Nasa, partes do foguete podem ter caído na vizinhança e no oceano, por isso a agência pede que as pessoas que por acaso encontrem detritos da explosão não toquem nos destroços.

Os materiais que estavam a bordo podem ser perigosos, por isso não devem ser coletados como suvenires, informou a empresa. "Pode haver detritos em praias em algumas das áreas que cercam a ilha", afirmou Bill Wrobel, diretor de Wallops Flight Facility da NASA, em entrevista à imprensa nesta terça-feira.

 

Esse foi o primeiro desastre envolvendo um foguete desde que a National Aeronautics and Space Administration passou a ser operada por agentes privados, responsáveis enviar cargas para a ISS (Estação Espacial Internacional).

As ações da Orbital, que concordou em comprar a empresa aeroespacial e de defesa Alliant Techsystems Inc em abril, caiu drasticamente. A explosão, no entanto, não deve desfazer o acordo entre as duas companhias. 

O foguete espacial não tripulado da empresa privada americana Orbital Sciences Corporation explodiu cerca de 15 segundos após ser lançado na base de lançamentos da Nasa, em Virgínia, nos Estados Unidos, segundo presidente e diretor executivo da Orbital Sciences Corporation, David W. Thompson . O veículo não tripulado lançaria a cápsula espacial Cygnus, que reabasteceria a ISS com toneladas de materiais de experimentos científicos, hardware para experimentos, alimentos e outros bens essenciais. 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos