Topo

Nave espacial da Virgin cai nos EUA; polícia confirma um morto

KABC TV/AP
Esta imagem gerada a partir de um vídeo da KABC TV de Los Angeles, na Califórnia, mostra destroços do que seria a SpaceShipTwo, da empresa Virgin Galactic, que caiu após sofrer uma anomalia no deserto de Mojave Imagem: KABC TV/AP

Do UOL, em São Paulo

31/10/2014 17h28Atualizada em 31/10/2014 23h29

A nave espacial suborbital SpaceShipTwo, da Virgin Galactic, caiu nesta sexta-feira (31) por volta de 10h12 (15h12 pelo horário de Brasília), dois minutos após se desacoplar da nave-mãe WhiteKnightTwo e registrar dificuldades durante um voo de teste na Califórnia, nos Estados Unidos. Dois pilotos estavam a bordo e segundo autoridades locais, um deles morreu e outro está gravemente ferido. A informação não foi confirmada pela Virgin.

Stuart Witt, CEO do Mojave Air and Space Port, afirmou a jornalistas após o acidente que o acidente deixou um morto. "Por volta das 10:12 tomamos conhecimento de uma anomalia durante o vôo e implementado o nosso plano de resposta pré-planejada", afirmou. "Nós sabemos que um dos membros da tripulação foi encontrado por equipes de emergência, tratado no local e transportado para Antelope Valley Hospital. Também sabemos que tivemos uma fatalidade", disse Witt.
 
Em entrevista à Reuters, o porta-voz do escritório do xerife do condado de Kern, Ray Pruitt, afirmou que o co-piloto da nave morreu no acidente, enquanto o piloto foi ejetado e está ferido. 
 
Os dois pilotos trabalhavam para a empresa Scaled Composites, parceira da Virgin Galactic no projeto de turismo espacial. Falando a jornalistas, o presidente da Scaled, Kevin Mickey, não quis identificar os pilotos e nem deu mais detalhes sobre sua experiência de voo.
 
Nem a Virgin nem a Scaled Composites confirmaram a possibilidade de uma explosão, que teria sido vista por várias testemunhas.

A própria Virgin Galactic comunicou problemas no voo de teste. "Durante o (voo de) teste, o veículo sofreu uma anomalia séria, que resultou na perda da SpaceShipTwo. Nossa primeira preocupação é a situação dos pilotos, que no momento é desconhecida", informou a empresa em um post no microblog Twitter.

A Virgin Galactic, que pertence ao grupo Virgin, fundada pelo bilionário britânico Richard Branson, vinha testando a possibilidade de voos de turismo no espaço. O teste foi conduzido por uma empresa parceira no projeto, a Scaled Composites. Em sua conta no Twitter, Richard Branson informou que estava a caminho do deserto do Mojave, onde ocorreu o acidente. "Meus pensamentos estão com todos @virgingalactic & Scaled [Composites], obrigado por todas as suas mensagens de apoio. Estou voando para o Mojave imediatamente para estar com a equipe", postou.

Anomalia

A nave, que ainda estava em fase de testes, foi atrelada a uma aeronave maior, conhecida como WhiteKnightTwo e então liberada para um teste com o motor de seu foguete.

"A SpaceShipTwo sofreu uma anomalia em voo. Um comunicado e informações adicionais serão divulgados em breve", anunciou a empresa, sem dar maiores detalhes.

A WhiteKnightTwo decolou normalmente do deserto de Mojave, na Califórnia, no que foi o 35º voo do tipo realizado pela nave.

"O SpaceShipTwo foi liberado pelo WhiteKnightTwo, e agora está voando livremente", escreveu a empresa em um relatório em tempo real do voo, acrescentando: "Ignição! SpaceShipTwo está voando novamente com motor de foguete".

O tuíte seguinte anunciou a "anomalia".

Imagens feitas pela emissora de TV KABC, afiliada da CNN, mostrou destroços da SpaceShipTwo espalhados pelo deserto do Mojave, na Califórnia.

Embora já tivesse realizado vários voos de teste, essa teria sido a primeira vez que a nave utilizou no ar uma nova mistura de combustível. Especialistas já começam a especular se não seria essa a causa da anomalia e, consequentemente, do acidente.

Vídeo mostra destroços de nave espacial tripulada que caiu nos EUA

Reuters

Turismo no espaço

A SpaceShipTwo estava sendo desenvolvida pela Virgin Galactic para levar passageiros ao espaço. Mais de 800 pessoas pagaram ou fizeram depósitos para voar a bordo da nave espacial, que vai a uma altitude de cerca de 110 quilômetros. Entre milionários e famosos que já haviam feito sua reserva estão os atores Leonardo DiCaprio e Ashton Kutcher. Cada passageiro terá de desembolsar US$ 250 mil pela viagem.

A nave espacial é baseada em um protótipo, chamado SpaceShipOne, que há 10 anos ganhou o direito de desenvolver a primeira nave espacial privada para voar no espaço.

O acidente é um grande revés para a Virgin Galactic, um ramo dos EUA com sede em Londres do Virgin Group, empresa do bilionário Richard Branson. Com capacidade para seis passageiros, a nave é comandada por dois pilotos com o objetivo de fazer os primeiros voos espaciais suborbitais comerciais do mundo.

A Virgin Galactic também planejava usar seus jatos transportadores para lançar pequenos satélites e cargas úteis em órbita.

Este é o segundo acidente da semana envolvendo uma empresa espacial norte-americana. Na terça-feira, um foguete da Orbital Sciences explodiu após a decolagem da base na Ilha de Wallops, na Virgínia, que pertence à Nasa (agência espacial norte-americana).

(Com agências internacionais)