Para Hawking, inteligência artificial pode acabar com mundo

O físico e cosmólogo britânico Stephen Hawking, um dos cientistas mais importantes do mundo, afirmou que o desenvolvimento de tecnologias que utilizem a inteligência artificial pode colocar fim à raça humana.

O cientista fez a declaração à BBC, ao ser questionado sobre a tecnologia que utiliza para se comunicar e que envolve uma forma básica de inteligência artificial.

Hawking sofre de uma doença motora relacionada à Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) e usa um sistema desenvolvido pela Intel para conversar. A nova tecnologia, criada em colaboração com a empresa britânica Swiftkey, averigua como o professor pensa e sugere palavras que ele queira utilizar.

O britânico afirmou que as formas primitivas de AI desenvolvidas até agora têm sido muito úteis, mas teme consequências catastróficas para os humanos a partir de tecnologias que possam nos superar. "Poderia funcionar sozinha, redesenhar-se e fazer isso a um ritmo crescente. Os humanos, que estão limitados por uma lenta evolução biológica, não poderiam competir e seriam substituídos", advertiu o professor. Durante a entrevista, ele ainda debateu sobre os benefícios e os perigos de usar a internet e pediu que as companhias do setor "façam mais para combater a ameaça" do terrorismo. Porém, ele admitiu que isso "é difícil de fazer sem sacrificar as liberdades e a privacidade" dos usuários.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos