Cientistas abrem sarcófago do Egito; veja como estava a múmia

Do UOL, em São Paulo

Até a tampa de o sarcófago ser retirada -- expondo os restos mumificados de 2.500 anos de um menino egípcio de 14 anos de idade -- o responsável geral do Field Museum, em Chicago, JP Brown não conseguia relaxar.

Brown e outros três cientistas usaram braçadeiras especialmente criadas como um berço para levantar a tampa do caixão frágil. Usando luvas cirúrgicas azuis, eles levantaram o sarcófago e colocaram delicadamente os restos mumificados em uma mesa de um laboratório com a umidade controlada.

O procedimento, realizado na última sexta-feira (5) e planejado há muito tempo pelo museu, revelou a máscara mortuária e os dedos dos pés de Minirdis, filho de um sacerdote. Ao conseguir estabilizar a múmia, os cientistas do museu permitirão que ela possa viajar na próxima exposição.

O Field Museum recebeu essa múmia em 1920 do Chicago Historical Society. Atualmente, ela faz parte da coleção do museu, que conta com 30 múmias humanas completas do Egito.

"Sempre há um risco de dano", explica Brown, que trabalha em um laboratório cheio de mesas cobertas de plástico por trás de uma grande janela que permite que crianças assistam seu trabalho.

Mesmo antes de abrir o caixão, os cientistas já sabiam o que esperar ao abrir o sarcófago, graças à tomografia computadorizada, que mostrou imagens de raios-X de dentro do caixão. Segundo os pesquisadores, foi possível ver o pé desenfaixado e a máscara rasgada. A múmia passará por um procedimento de reparo.

Como alguns pedaços do caixão já haviam desaparecido, a múmia tinha sido exposta a elementos externos. Por essa razão, Brown não estava preocupado que a múmia se desintegrasse em poeira quando o sarcófago fosse aberto -- como muitas vezes aparece nos filmes.

Caminhando ao redor do caixão aberto, Brown apontou e explicou o significado de uma marcação, uma resina colorida especial em panos de linho e dourado sobre a máscara. Se Minirdis tivesse vivido por mais tempo, ele teria sido um sacerdote como seu pai, afirma Brown.

Os cientistas não sabem por que Minirdis morreu tão jovem. (Com Associated Press)

Veja tesouros arqueológicos
Veja tesouros arqueológicos

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos