Traje espacial da Nasa vai ao hospital para identificar problemas futuros

Do UOL, em São Paulo

Um paciente incomum foi encaminhado para o centro cirúrgico do laboratório do Instituto de Pesquisa do hospital metodista de Houston, nos EUA: um traje espacial.  O motivo? A Nasa (agência espacial americana) busca formas inovadoras para identificar problemas que podem ocorrer com seus trajes espaciais.

Em 2013, um astronauta italiano que fazia uma caminhada espacial pela ISS (Estação Espacial Internacional) quase se afogou devido a um entupimento em uma bomba de seu traje espacial.

A agência espacial espera que os equipamentos avançados do laboratório, dentre eles um scanner preso a um braço robótico, possam criar imagens em 3D dos trajes espaciais, que serão usados para diagnosticar problemas futuros.

Luca Parmitano, astronauta italiano que sobreviveu à experiência com o traje espacial, disse que o trabalho da Nasa, em conjunto com o hospital, é um passo a frente na prevenção de outros problemas técnicos com as vestimentas usadas no espaço.

"Nunca pensei em ver um traje espacial deitado na mesa de cirurgia. Esta é a primeira vez para mim", afirma Parmitano, enquanto observava o traje espacial, que não era o mesmo que ele usou durante a caminhada espacial.

Parmitano, que é um oficial da Força Aérea Italiana, descreveu em uma conferência anual em Houston como a água começou a subir atrás de sua cabeça em seu capacete e mais tarde começou a cobrir suas orelhas, olhos e nariz. Ele contou que imaginou uma manchete de jornal que dizia: "Astronauta italiano se afoga no espaço."

Brian Macias, gerente de subsistema de traje espacial no Centro Espacial Johnson da Nasa, em Houston, disse que um componente de ventilação falhou durante a caminhada espacial e foi posteriormente examinado com raios-X e raios-N, outra forma de radiografia, mas ainda assim a informação aos engenheiros foi limitada.

"Esse procedimento está desbravando novos caminhos para nós, pois atualmente não usamos nenhuma técnica de imagem para descobrir anomalias em um traje espacial", afirma Macias.

Durante uma demonstração, o braço robótico do scanner CT foi colocado em torno do capacete do traje espacial, criando imagens em 3D nas cores vermelho, preto e branco, o que pode auxiliar que os engenheiros olhem a integridade dos componentes diferentes.

Dr. Alan Lumsden, diretor médico do Centro Metodista DeBakey de Coração e Vascular, disse que técnicas utilizadas na cirurgia endovascular para examinar problemas com vasos sanguíneos são do mesmo tipo que podem diagnosticar problemas futuros com os trajes espaciais.

"Aqui é uma situação onde estamos usando tecnologia da área da saúde para potencialmente resolver um problema da Nasa. Nós realmente queremos ajudar o máximo que pudermos", afirmou. (Com AP)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos