Topo

Homo erectus já andava como seres humanos há 1,5 milhão de anos

iStock
O estilo de andar e a estrutura de grupo do Homo erectus eram similares às dos seres humanos atuais Imagem: iStock

Paula Moura

Colaboração para o UOL

2016-07-25T06:00:00

25/07/2016 06h00

Pegadas de Homo erectus encontradas no nordeste do Quênia trouxeram uma oportunidade única de entender como esses hominídeos que viveram há 1,5 milhão de anos andavam e se comportavam em grupo. O Homo erectus está no meio da linha de evolução entre o Homo habilis e nós, os Homo sapiens.

Usando técnicas analíticas novas, os pesquisadores do Instituto de Antropologia Evolucionária Max Planck, em Leipzig, na Alemanha, e colaboradores de diversos países demonstraram que as pegadas do Homo erectus, primeiros a caminharem em pé, preservam evidências de que o estilo de andar e a estrutura de grupo eram similares às dos seres humanos atuais.

As pegadas ajudaram a chegar a estimativas de massa corporal dos hominídeos (cerca de 48,9 kg) e também se eram do sexo masculino ou feminino. Isso fez com que pudessem desenvolver teorias sobre o comportamento do grupo.

Nos dois principais locais, há evidências de que passaram por lá diversos indivíduos do sexo masculino, o que deixa implícito algum nível de tolerância e possível cooperação entre eles. A cooperação é um dos comportamentos sociais que diferencia humanos modernos de outros primatas.

“Não é surpreendente que encontramos evidência de tolerância mútua e talvez cooperação entre os hominídeos do sexo masculino que viveram há 1,5 milhões de anos, especialmente o Homo erectus, mas é nossa primeira chance de ver o que parece ser um vislumbre direto da dinâmica comportamental no passado distante”, diz Kevin Hatala, pesquisador do Instituto Max Planck e da Universidade George Washington.

Divulgação/Kevin G. Hatala
Foram encontradas ao menos 97 trilhas de pegadas de Homo erectus no Quênia Imagem: Divulgação/Kevin G. Hatala

Bípedes

A locomoção sobre os dois pés também é uma característica dos humanos modernos em comparação com outros primatas e a evolução desse comportamento nos nossos ancestrais teve efeitos profundos em sua biologia. No entanto, tem havido muito debate sobre quando e como os hominídeos começaram a andar apoiados apenas nas pernas. Isso ocorre principalmente por causa de discordâncias sobre como deduzir informações biomecânicas da morfologia dos esqueletos.

Enquanto fósseis e ferramentas de pedra podem dar muitas informações sobre a evolução humana, eles não conseguem transmitir alguns comportamentos dinâmicos dos nossos ancestrais, como a maneira de se mover e como cada indivíduo interagia com os outros.

Provavelmente foi o primeiro a controlar o fogo

O Homo erectus, cujos achados mais antigos datam de 1,9 milhões de anos, é o primeiro hominínideo proporções corporais similares às do homem moderno, altura entre 1,50 a 1,80m, com braços curtos e pernas relativamente longas, propícias para caminhar longas distâncias. 

Possivelmente foi o primeiro ancestral humano a controlar o fogo e o cozimento dos alimentos há 1 milhão de anos atrás. O Homo erectus migrou para fora da África e povoou a Ásia e a Europa. A espécie sobreviveu até cerca de 30 mil anos atrás.

As pegadas analisadas no estudo do Instituto Max Planck foram encontradas no Quênia, próximo à cidade de Ileret. O local guarda um dos depósitos mais ricos de artefatos da época em que o Homo erectus viveu, entre 2 milhões e 1,5 milhão de anos atrás.

Na área foram preservadas 97 trilhas criadas por pelo menos 20 diferentes indivíduos, que eles acreditam ser Homo erectus.

 

Mais Ciência e Saúde