Detetives do futuro poderão identificar você pela proteína do seu cabelo

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação/CBS

Quando assistimos a filmes e seriados policiais notamos que para encontrar o assassino basta um pequeno fragmento de DNA na cena do crime. Ficamos torcendo para os peritos encontrarem uma digital ou um pouco de sangue para terem um suspeito. E o trabalho da polícia poderá ser facilitado em um futuro próximo.

Qualquer pedacinho de um fio de cabelo poderá "dedurar" quem é seu dono, de acordo com estudo publicano no periódico Plos One. Pesquisadores descobriram que todos os seres humanos têm proteínas únicas no cabelo que podem ser usadas para traçar perfis de identificação.

Atualmente, para conseguir descobrir de que cabeça o cabelo saiu é preciso ter um contexto favorável.

Por exemplo, uma alternativa é a análise do bulbo capilar, aquela parte branca que fica na ponta do fio quando você o arranca. O bulbo contém células formadoras de cabelo e por isso há como extrair o DNA dele, mas nem sempre o bulbo fica preso a um fio que cai.

Outra opção conhecida é a extração do DNA mitocondrial na haste do cabelo (sem precisar da raiz). Porém, o procedimento é delicado, sofre fáceis mutações e expõe apenas a herança materna. Em casos de teste de paternidade, por exemplo, por não determinar um código genético completo não há como determinar quem é o pai, só a mãe.

Glendon Parker, professor do Laboratório Nacional de Lawrence Livermore, nos Estados Unidos, descobriu que a proteína do cabelo humano é estável e tem variações únicas em cada indivíduo. Por ter essas características, os fios podem ser uma nova ferramenta para identificação de pessoas em situações forenses ou arqueológicas.

iStock
Para comprovar a tese, cientistas analisaram amostras de cabelos de seis corpos que tinham cerca de 250 anos, além das madeixas de 76 pessoas vivas descendência americana europeia e africana.

Foram encontrados 185 tipos diferentes de proteínas de cabelos. Com esse banco de dados, os pesquisadores estimaram que seria possível distinguir quem é o dono do cabelo entre uma população de um milhão de pessoas.

Com pesquisas mais aprofundadas, os autores esperam identificar um enorme conjunto de diferentes proteínas e construir um banco de dados que tornaria possível distinguir um indivíduo entre a população do mundo inteiro usando um único pedacinho do seu fio de cabelo.

"Estamos em um momento muito parecido com a identificação à base de proteínas para perfis de DNA durante o início do desenvolvimento da técnica", afirmou Brad Hart, químico coautor do estudo. "Este método será um divisor de águas para análise forense e existem mais passos para percorrermos até que essa nova técnica seja capaz de atingir seu pleno potencial". 

No futuro, detetives vão agradecer o desenvolvimento da técnica e criminosos terão que ser mais cuidadosos com as madeixas. 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos