Raios laser podem substituir trituração de pintinhos em granjas da Alemanha

Richard Connor

  • Ricardo Rojas/Reuters

    Cerca de 2,5 bilhões de pintinhos machos são mortos todos os anos em granjas

    Cerca de 2,5 bilhões de pintinhos machos são mortos todos os anos em granjas

Rejeitados pela indústria aviária, bilhões de pintos machos são jogados em trituradores mecânicos ou sufocados no momento em que chegam ao mundo. Pesquisadores alemães desenvolveram uma alternativa mais humana.

A indústria de ovos é um negócio particularmente desagradável – especialmente para as aves do sexo masculino. 45 milhões de pintinhos machos são mortos após chocarem a cada ano apenas na Alemanha. No mundo inteiro, o número chega a 2,5 bilhões.

Em granjas industriais, os pintinhos são geralmente sufocados com dióxido de carbono ou jogados vivos em trituradores mecânicos. O ministro da Agricultura da Alemanha, Christian Schmidt, deve divulgar uma máquina que pode dar fim à matança de pintos machos. A máquina usa um processo "in-ovo" para determinar o sexo e foi desenvolvida como parte de um programa de pesquisa financiado pelo Ministério da Agricultura e desenvolvido pela Universidade de Leipzig.

Pesquisadores conseguiram estabelecer um método para determinar o gênero de ovos fertilizados apenas 72 horas depois de o processo de incubação começar. O método é "alternativa econômica, prática e apropriada" para a trituração, afirma Schmidt, que vai apresentar o novo protótipo na Semana Verde de Berlim, uma feira agrícola que será aberta na próxima sexta-feira (20).

Mal necessário 

Embora Schmidt tenha argumentado pessoalmente que o trituramento de pintos precisa parar, tem sido difícil acabar com a prática. Até agora, o trituramento de pintos machos tem sido encarado como um mal necessário.

O porta-voz do Partido Verde Friedrich Ostdorff afirma que a nova invenção não é suficiente, e acusa Schmidt de posar ao lado de novas tecnologias ao mesmo tempo em que falha na aprovação de uma lei que ponha fim ao trituramento. "Isso não é algo que será alcançado com uma demonstração técnica sem compromisso durante a Semana Verde", disse Ostdorff.

"O que é preciso é ação política legal e um cronograma específico." Schmidt acredita que a existência do equipamento pode provocar o fim dos argumentos legais que muitas empresas usam para justificar a trituração frente à legislação de direitos dos animais. Em maio de 2015, um tribunal da cidade alemã de Münster decidiu que o trituramento de pintos machos era aceitável porque as leis de proteção permitem que animais sejam mortos se existirem razões econômicas.

"Com isso, nós vamos eliminar essa prática imoral e antiética em 2017", disse Schmidt. Simplesmente banir o processo provocaria a morte de pintos em outros países, acredita Schmidt.

Com esse propósito, ele espera que o processo não seja apenas limitado à Alemanha, acredita Schmidt. "Já houve consultas de outros países", disse o ministro. O novo maquinário vai permitir que as granjas determinem o gênero do ovo apenas três dias após o início do processo de incubação. Os ovos então serão selecionados automaticamente pelas máquinas.

Dispersão de luz

O método envolve o uso de um laser perfurador que abre um pequeno buraco na casca do ovo, iluminando o seu interior. Pesquisadores descobriram que poderiam determinar o gênero analisando a forma que as células sanguíneas dispersam a luz, tudo isso com o uso de Espectroscopia Raman, uma técnica fotônica de alta resolução que pode proporcionar, em poucos segundos, informação química e estrutural de compostos orgânicos.

O buraco na casca é então fechado novamente, e os embriões femininos podem ser normalmente incubados. Já os "ovos machos", por sua vez, podem ser usados em outros processos industriais, como rações animais.

Uma vantagem do uso de lasers e luz é que processo não envolve contato, e portanto não necessita de desinfecção e peças de reposição. Mas ao desenvolver o processo, os pesquisadores se defrontaram com vários desafios, como reduzir o tempo necessário para conduzir os testes.

Outro problema foi a necessidade de abrir um buraco considerável nos ovos, o que aumenta a quantidade de germes que podem entrar no ovo durante o processo de incubação. Esse é um ponto que a ZDG, associação que representa a indústria aviária alemã, vê a necessidade de mais pesquisas.

Uma questão de competição

A ZDG já elogiou previamente a Alemanha pela sua liderança nos esforços pela busca de uma solução mais humana, mas também pediu por um esforço comum europeu. A associação disse que uma "ação unilateral em nível nacional pode provocar o envio da produção aviária para o exterior". O procedimento só vai acrescentar alguns poucos centavos na produção de cada ovo.

De fato, a tecnologia pode até oferecer vantagens econômicas, já que os ovos masculinos podem ser selecionados antes dos 21 dias necessários para a incubação. As perspectivas para as aves do sexo masculino ainda estão longe se ser douradas – de qualquer jeito elas vão morrer. Só que com o novo método isso vai acontecer muito mais cedo – e, se espera, com muito menos dor e sofrimento.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos