Vida no espaço? Cientistas encontram compostos orgânicos em Ceres

Bia Souza

Do UOL, em São Paulo

  • NASA/AFP

    Divulgada pela Nasa (agência espacial norte-americana), a imagem feita pela sonda Dawn registra Ceres em 7 de maio de 2015, a uma distância de 13.600 quilômetros

    Divulgada pela Nasa (agência espacial norte-americana), a imagem feita pela sonda Dawn registra Ceres em 7 de maio de 2015, a uma distância de 13.600 quilômetros

Ceres, o planeta-anão conhecido por ser o maior corpo de um cinturão de asteroides entre Marte e Júpiter, parece ter material orgânico formado no próprio asteroide.

Os pesquisadores encontraram compostos orgânicos alifáticos (blocos de construção baseados em carbono que podem ter um papel na química que permite a presença de vida). De acordo com o estudo feito a partir de dados da sonda espacial Dawn, da Nasa (Agência Espacial Americana), o material se formou em Ceres --não chegou ali vindo de outro lugar.

O instrumento detectou absorção a comprimentos de onda que são característicos dos grupos metil e metileno presentes na matéria orgânica alifática, indica o estudo publicado na Science.

Os dados recolhidos, no entanto, não eram suficientes para determinar exatamente qual é o composto formado no planeta. Os cientistas sabem que eles combinam minerais semelhantes ao alcatrão, a cerite ou a asfaltite.

Os compostos químicos encontrados (amônia, gelo de água, carbonatos, sais e material orgânico) indicam a existência de um ambiente químico bem complexo, o que sugeriria um ambiente favorável para uma química pré-biótica, ou seja, algo bem próximo do que poderia gerar vida"

Rundsthen Nader, astrônomo da UFRJ

Esse tipo de material seria destruído pelo calor do impacto, por isso os cientistas acreditam que não venham de fontes exteriores. Além disso a forma como está distribuído pela superfície não indica que tenha vindo de um corpo externo.

Tem água?

Além dos compostos orgânicos, cientistas também já indicaram a presença de água nas crateras de Ceres, elemento considerado essencial para haver vida.

Segundo uma pesquisa publicada em dezembro, Ceres concentra água congelada nas regiões mais escuras.

Nessas regiões, os cientistas identificaram 634 crateras que servem como depósito para todo esse gelo. Em 2014, os cientistas também anunciaram a presença de vapor de água no planeta.

Partiu, Ceres?

Os pesquisadores acreditam que essas descobertas podem ajudar a entender como se formam compostos orgânicos interestelares e como eles interagem entre si.

A pesquisa também pode ajudar a compreender como os primeiros organismos sugiram na Terra e até no Sistema Solar, mas segundo pesquisadores ainda não dá para pensar em viver no planeta-anão.

"Ceres tem gravidade bem baixa, não possui atmosfera e tem uma temperatura média de cerca de -100º C. Portanto, é bem baixa a chance de que qualquer tipo de vida, mesmo que microscópica, venha a evoluir num ambiente inóspito como este, pelo menos nos padrões que temos como referência", explica Nader.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos