Wikipedia mostra quanto dura memória coletiva sobre grandes acidentes

Paula Moura

Do UOL, em São Paulo

  • Sergio Alberti/Folhapress

    Incêndio em prédio da TAM após queda de um avião no aeroporto de Congonhas, em 2007

    Incêndio em prédio da TAM após queda de um avião no aeroporto de Congonhas, em 2007

Que acontecimentos serão para sempre lembrados pela memória coletiva? Como é feita essa escolha nas sociedades?

Um estudo publicado nesta quinta-feira (5) na revista Science Advances procurou entender essa dinâmica por meio da internet. Eles avaliaram 1.500 artigos da Wikipedia sobre acidentes de avião e outros relatórios de incidentes.

Ruth García-Gavilanes, da Universidade de Oxford, no Reino Unido, e seus colegas de outros institutos europeus descobriram que os fatores que mais importam para saber se a memória coletiva vai ser ativada são: número de mortes, a data do acidente e uma visita anterior ao artigo do passado. Os pesquisadores chegaram a uma conclusão importante: a memória de uma tragédia dura 45 anos e depois cai drasticamente.

A memória costuma prevalecer sobre o fato recente. O estudo revelou que a busca por acidentes parecidos no passado superou em 142% a procura pelo artigo do acidente mais atual.

Por outro lado, a origem da empresa aérea não teve grande efeito sobre as visitas. "Estudamos a relação entre acontecimentos recentes e passados para entender padrões de acionamento da memória", escreveram os autores.

Eles propõem que essa mudança de atenção ocorre em parte por causa de processos de memória em que alguns acontecimentos do passado são mais lembrados e acionados por um evento atual.

Taha Yasseri, Oxford Internet Institute, University of Oxford, 2017
Fluxo de visitas às páginas dos acidentes da Germanwings em 2015 e da American Airlines em 2001

Caso Germanwings

A atenção dos leitores vai de artigos "fonte" sobre acidentes recentes de avião ou incidentes como sequestros (aqueles que ocorreram em 2008 e 2016) a artigos sobre acidentes antigos, os "alvos".

Por exemplo, um acontecimento "fonte" na análise foi a queda do avião da Germanwings em março de 2015, em que o copiloto fez o avião se chocar intencionalmente contra os Alpes, matando 150 pessoas.

Imediatamente depois da queda, o artigo "alvo" sobre a queda de um avião da American Airlines em novembro de 2001, por erro do piloto e com a morte de 265 pessoas, recebeu mais visitas. O aumento aconteceu mesmo sem hiperlinks entre os dois artigos.

Foram analisadas os 11 maiores acidentes de avião e seus alvos correspondentes para chegar ao resultado dos fatores preponderantes sobre a memória coletiva.

Internet como nova ferramenta

A memória coletiva ou a percepção comum gerada sobre um acontecimento tem sido estudada usando métodos como pesquisas, mas a internet oferece um registro amplo inexplorado desse fenômeno.

Para os autores, a Wikipedia é o ambiente ideal para estudar a memória coletiva porque as estatísticas de visitas espelham os padrões de atividade dos usuários, inclusive nas buscas do Google.

Os resultados mostram uma nova forma de analisar nossa memória coletiva e revela como assuntos diferentes estão conectados uns aos outros por meio da memória e da associação e, portanto, formam uma rede interconectada de assuntos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos