Clique Ciência: Por que alguns animais comem cocô?

Cintia Baio

Colaboração para o UOL

  • Getty Images/iStockphoto

Pode parecer estranho e nojento pensar que alguns animais comem seu próprio cocô, mesmo a natureza oferecendo uma diversidade de alimentos mais saborosos. Mas acredite, a coprofagia — palavra que quer dizer "ingestão de fezes"— faz parte do cotidiano de várias espécies, como coelhos, gorilas, insetos, pássaros, elefantes e até cães e gatos.

O principal motivo para esse "estranho" comportamento é reaproveitar alguns nutrientes que não foram absorvidos durante a digestão, como algumas vitaminas e proteínas. Os coelhos e as lebres fazem parte da turma que mais aprecia esse tipo de prato. 

Luiz Carlos Murauskas/Folhapress

Os pequenos orelhudos produzem dois tipos de fezes: uma um pouco mais dura e outra mais mole, com alto valor nutricional e produzida, geralmente, à noite. E é este segundo tipo, conhecido como cecotrofo, que eles comem.

Os cecotrofos são produzidos em uma região do trato digestivo do coelho chamada ceco, que contém uma comunidade natural de bactérias e fungos que fornecem nutrientes essenciais ao animal. Os coelhos costumam consumi-lo direto do ânus, antes que cheguem ao chão.

Já os chimpanzés e outros macacos, embora adeptos da coprofagia, consomem seu cocô com menos regularidade. Eles buscam nas fezes apenas algumas sementes e outros alimentos que foram parcialmente digeridos. É como se eles tivessem uma nova chance de capturar mais nutrientes. No entanto, alguns estudos sugerem que o ato também está ligado a situações de estresse vividas pelos animais, como quando estão presos.

Beverly Joubert/National Geographic Creative

Mais do que reciclagem

Se comer o próprio cocô já soou bastante nojento, imagina comer as fezes do outro? Os elefantes costumam fazer isso para repor suas próprias bactérias intestinais, retirando as fezes direto do ânus de outro elefante ou pegando do chão mesmo.

Quando bebês, os coalas ainda não têm um sistema digestivo capaz de digerir folhas com facilidade. Por isso, eles lambem o ânus de suas mães para engolir fezes com tais bactérias capazes de fazer a digestão.

Getty Images

Até cães e gatos!

Em alguns casos, as rações incrementadas ou comida caseira não são suficientes para evitar que até os cachorros e gatos comam seu próprio cocô. Segundo estudos, alguns cães carregam esse hábito de seus ancestrais (os lobos selvagens), que comiam as fezes dos humanos e de outros animais como forma de subsistência.

Embora natural e normal, o comportamento não é saudável. O pet pode ter esse hábito tanto por questões físicas quanto comportamentais. A causa física é a baixa produção de enzima digestiva, que faz com que o organismo do animal não faça a digestão do alimento por completo. Por isso, o cachorro e o gato passam a comer as próprias fezes no intuito natural de reaproveitar o que foi desperdiçado.

O ato também pode indicar carência ou estresse. Alguns cachorros e gatos podem comer o cocô para evitar broncas e castigos, principalmente se erraram o local onde deveriam ter feito o cocô.

Especialista consultado: Ricardo Tamborini – Adestrador e especialista em comportamento canino e Smithsonianmag

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos