Teste de gravidez com pasta de dente funciona? Ciência responde

Deborah Giannini

Colaboração para o UOL

Conhecida como teste da pasta de dente, a receita caseira para detectar gravidez ganhou rapidamente popularidade na internet. Consiste em jogar algumas gotas de urina sobre um pedaço de pasta de dente branca. Se a pasta espumar ou ficar azulada, significa um "positivo" na crença popular, mas para a ciência é apenas uma reação química, que não avalia a presença de HCG e, portanto, não é capaz de confirmar uma gestação.

Thinkstock

"A coloração azul é uma reação do carbonato de cálcio da pasta com a urina. Já a espuma é resultado da reação da acidez da urina com a alcalinidade da pasta", explica a farmacêutica Elisa Maria de Sousa Russo, professora do Laboratório de Análises Clínicas da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto da USP.

"Alguns cremes dentais também possuem lauril eter sulfato, substância que facilita a formação de espuma. Quanto mais alcalina for a pasta e mais ácida for a urina, maior será a chance de reações."

Mais do que certezas, os testes caseiros podem gerar ainda mais dúvidas.

Quem está fazendo testes caseiros de gravidez está fazendo reações químicas aleatórias que podem coincidir com o teste positivo ou negativo, dependendo do componente da sua urina."

Água sanitária mágica

Outras "mágicas" provocadas pelos testes caseiros também encontram explicação na química. Um exemplo é o teste da água sanitária, que funciona da seguinte forma: se a urina em contato com a água sanitária ficar efervescente e alaranjada ou avermelhada, é "sinal" de gravidez.

iStock

Na verdade, segundo, Alexandre Inácio Cruz de Paula, do Departamento de Análises Clínicas da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP, significa apenas que houve uma reação química entre a amônia e a ureia, contidas na urina, com o hipoclorito de sódio, presente na água sanitária.

"Esse contato leva à formação de gás nitrogênio, cloramina, gás clorino e possíveis sais insolúveis que podem apresentar cores variadas. Esta reação não tem relação alguma com a presença de HCG na urina", afirma o farmacêutico.

O preocupante em relação à prática de testes caseiros de gravidez "é a mulher acabar não fazendo um acompanhamento médico de sua gestação", afirma Melissa Cavagnoli, médica especialista em reprodução humana.

Reprodução/The Wolf

Só testes que medem HCG são capazes de detectar gravidez

A gravidez é detectada por meio da presença do hormônio HCG (gonadotrofina coriônica humana) no sangue ou na urina. Isso não pode ser obtido por meio de uma reação química, mas através de uma reação entre antígeno – o hormônio proteico HCG – e anticorpo. É assim que funcionam os exames de sangue de laboratório, chamados de Beta HCG, e os testes de urina vendidos em farmácias.

O exame Beta HCG qualitativo detecta a presença do hormônio, já o quantitativo mede a concentração do hormônio no sangue. "Os testes de urina de farmácia hoje são muito confiáveis, pois possuem membrana de anticorpos imobilizados. Quando a urina passa por ali, a proteína é capturada por esse anticorpo, que fornece o resultado", afirma Elisa.

O teste caseiro que se diz capaz de distinguir uma gravidez de uma não-gravidez a partir da fervura da urina parte da busca da presença de proteína no xixi, que levaria ao fenômeno semelhante ao leite: se subir e coalhar é "positivo".

Segundo a farmacêutica, há outras proteínas na urina como a albumina, que não é excretada pelo organismo.

A urina é um líquido rico em diversas substâncias, com pontos de ebulição distintos, diferentemente da água pura, que ferve de forma homogênea. A urina só irá ferver de forma parecida com a água se estiver muito diluída."

O hormônio começa a aparecer no sangue cerca de 10 dias após a fecundação. Praticamente exclusivo da gravidez, este hormônio é produzido pelo sinciciotrofoblasto, camada de células precursoras da placenta, a partir do momento da nidação, implantação do embrião no útero.

Shutterstock

"A presença de HCG indica que houve implantação", afirma Melissa Cavagnoli, médica especialista em reprodução humana do Grupo Huntington. Ela explica que a função fisiológica do HCG é manter, até a formação da placenta, o corpo lúteo, estrutura endócrina temporária que produz os hormônios progesterona e estrogênio, necessários para a manutenção da gravidez.

"O valor do exame Beta HCG quantitativo tem que ser compatível com o tempo de gestação. É utilizado como parâmetro até a sexta semana de gravidez", completa. O HCG atinge seu auge entre a oitava e 11ª semana de gestação, podendo chegar ao índice de 1 milhão Ul/ml. A partir daí, os níveis caem para valores entre 80 mil e 120 mil UI/ml até o bebê nascer, segundo a ginecologista.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos