Onda de frio deixa temperaturas nos EUA tão baixas quanto as de Marte

Fernando Cymbaluk

Do UOL, em São Paulo

O frio extremo que atinge a costa leste dos EUA e do Canadá pode servir como uma amostra de temperaturas encontradas em algumas regiões de Marte. Além de tempestades de neve, a onda de frio deve levar os termômetros para a casa dos -35°C em cidades dos EUA. Segundo meteorologistas, a sensação térmica pode chegar a -50°C no norte de Ontário, no Canadá.

A temperatura média marciana é pouca coisa mais baixa, gira em torno de -60°C. No entanto, agora as temperaturas do Planeta Vermelho não estão tão extremas. A sonda Curiosity, que explora uma região próxima à linha do Equador de Marte, registrou no primeiro dia do ano máxima de -6°C no solo.

Nasa/The New York Times
No primeiro dia do ano, a superfície do planeta Marte estava com temperatura de -6º C

Marte possui as quatro estações do ano, como a Terra, e calotas de CO² congelado nos polos, explica Amaury Almeida, professor de astrofísica do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da USP. Segundo ele, a comparação entre temperaturas entre a Terra e Marte é plausível nesses aspectos. Mas as semelhanças param por aí.

Veja também:

Marte está mais longe do Sol do que a Terra. Por isso, suas temperaturas são mais frias. 

A Terra está na chamada zona habitável do Sistema Solar, definida pela radiação térmica ideal para ter água líquida. Se aproximássemos a Terra uns 10% [em direção ao Sol], a situação seria escaldante, a água evaporaria. E se afastássemos 5% do Sol, teria problema de [baixa] temperatura."

Numa localização como a de Marte no Sistema Solar, a atmosfera teria papel fundamental para propiciar alguma condição de existência de água líquida. Mas a do Planeta Vermelho não cumpre bem a função de reter calor. "Marte praticamente não tem atmosfera", afirma Almeida.

Sua massa é de apenas 11% a massa da Terra -- insuficiente para a formação de uma robusta atmosfera, explica o astrofísico. Segundo dados da Nasa (Agência Espacial dos EUA), a atmosfera marciana é 160 vezes mais fina que a da Terra, o que faz com que o calor do Sol escape facilmente.

De acordo com a Nasa, a superfície de Marte esquenta rapidamente quando atingida pelos raios solares, o que ajuda um pouco no aquecimento do planeta. Mas como a atmosfera marciana é muito tênue, as diferenças de temperatura entre o solo e o ar são bem grandes.

Tanto que a sonda Curiosity, no mesmo dia 1º, registrou máxima de -24°C alguns metros acima da superfície. Estando no Equador marciano ao meio dia, uma pessoa sentiria como se estivesse no nível do mar terrestre na altura dos pés e num pico nevado de uma montanha na altura da cabeça. 

Quanto tempo seria possível viver em outros planetas?

A atmosfera fina de Marte também deixa o planeta exposto à radiação ultravioleta. "Não há uma magnetosfera intrínseca que funcione como um escudo contra a radiação do sol", diz o astrofísico. 

Regiões mais quentes de Marte lembram desertos, esquentando durante o dia e esfriando bastante após o pôr do Sol. A sonda Curiosity registrou no dia 1º mínima de -79°C no ar e de -82°C no solo (que também esfria rapidamente). O robozinho já conseguiu pegar dias mais quentes em sua jornada, com temperaturas máximas positivas, de até 6°C.

Devido à ausência de umidade, não chove nem neva em Marte. O que existe são tempestades de areia, que deixam poeira suspensa sobre a superfície e podem provocar altas na temperatura ao conterem o calor. As máximas no Planeta Vermelho ficam um pouco acima dos 20°C. Já as mínimas podem ficar abaixo dos -140°C. 

Na Terra, o recorde de temperatura máxima é de 56,7°C, registrada no deserto da Califórnia no verão de 1913. E o recorde de temperatura mínima é de -93°C, registrada na Antártida em agosto de 2010

Cataratas do Niágara congelam parcialmente

Frio nos EUA

Uma rara tempestade de inverno atingiu o sudeste dos Estados Unidos na quarta-feira (3), levando neve à capital da Flórida pela primeira vez em três décadas e impedindo viagens, enquanto a Nova Inglaterra foi atingida por uma nevasca chamada de "ciclone bomba", com previsão de gerar grandes acúmulos na quinta-feira (4).

A queda nas temperaturas na região congelou as cataratas do Niágara, no Canadá. Flórida, Geórgia, Carolina do Norte e Virgínia já declararam estado de emergência e diversas cidades emitiram avisos de nevascas. O Serviço Meteorológico Nacional dos EUA previu que Nova York pode ver entre 12 e 20 centímetros de neve e rajadas de ventos de até 80 km/h nesta quinta-feira.

Pelo menos 17 pessoas morreram em todo os Estados Unidos em decorrência do frio desde o início do inverno -- dois moradores de rua foram achados mortos nesta quarta em Houston.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos