8 previsões que Stephen Hawking fez sobre o fim dos dias na Terra

Do UOL, em São Paulo

  • Getty Images

O físico inglês Stephen Hawking, que morreu nesta quarta (14), considerava a Terra um planeta frágil para suportar as transformações causadas pelo homem. Nos últimos anos de sua vida, o tema do fim do mundo e previsões nada otimistas como essas passaram a fazer parte de suas declarações.

O aquecimento global, a emergência da inteligência artificial e o crescimento da população levavam o físico inglês a pensar em estratégias para nos salvarmos, como a mudança para outro planeta ou a exploração de energia em buracos negros.

Responsável por contribuições fundamentais ao estudo dos buracos negros, Hawking, de 76 anos, ocupava a cadeira de Isaac Newton como professor de matemática na Universidade de Cambridge.

Veja abaixo o que o astrofísico disse recentemente sobre a extinção do planeta Terra:

Reprodução/Sports Vape
 1. Humanidade tem menos de 600 anos para deixar a Terra
Se a humanidade não se tornar uma espécie espacial nos próximos cinco séculos, talvez seja extinta, disse Stephen Hawking, em novembro de 2017, durante a abertura de um evento em Pequim (China). Segundo ele, o crescimento populacional e o aumento do consumo de energia transformarão a Terra em uma bola de fogo até 2600.

2. Alerta contra a Inteligência Artificial
Também em novembro deste ano, o físico voltou a expressar preocupação com a evolução da Inteligência Artificial --como já havia feito em 2014. Ele reconheceu o potencial dessa tecnologia para erradicar a pobreza, as doenças e até para transformar a sociedade como um todo para algo melhor. Mas, mesmo assim, ele diz que devemos estar preparados para o pior.

"O sucesso em criar a inteligência artificial pode ser o maior evento na história de nossa civilização. Ou o pior. Nós só não sabemos. Nós não podemos saber se seremos infinitamente ajudados ou até destruídos por ela." Hawking cita as armas autônomas ou "novas maneiras de poucos oprimirem muitos" como um dos perigos da Inteligência Artificial, que, segundo ele, pode ainda representar "uma grande ruptura para nossa economia". 

Eso
 3. Humanidade precisa de "um novo lar"
No documentário "The Search for a New Earth", o britânico disse que é imprescindível desenvolver tecnologias que possibilitem a colonização de um outro planeta com a maior urgência possível e sugere o Ross 128 b com o 'novo lar' da humanidade. De acordo com Hawking, há várias ameaças para a humanidade que podem provocar a extinção da nossa espécie, tais como as alterações climáticas e a superpopulação. 

4. Busca de alienígenas pode gerar catástrofe
Em julho de 2017, Hawking alertou ser pouco provável que qualquer forma de vida alienígena ficasse satisfeita ao saber da nossa existência. "O encontro com uma civilização avançada pode lembrar o encontro dos nativos americanos com Colombo. Isso não deu bom resultado". De acordo com ele, os alienígenas podem ser "saqueadores" que conquistam os planetas para se apropriar dos recursos.

Lionel Bonaventure/AFP
5. Mudança climática pode transformar a Terra em Vênus 

Após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciar a saída do país do Acordo Climático de Paris, o físico britânico repetiu alertas a respeito dos perigos das mudanças climáticas. "As ações de Trump podem levar a Terra à beira do abismo e transformá-la em Vênus, com uma temperatura de 250ºC e chuva de ácido sulfúrico."

"Estamos em um ponto crítico no qual o aquecimento global vai se tornar irreversível", alertou o cientista. Segundo Hawking, essa é "uma das maiores ameaças que enfrentamos e que podemos prevenir se agirmos agora". Essa ameaça já tinha sido citada pelo físico no documentário "A Última Hora", de 2007.

6. Buracos negros podem ser convertidos em usinas de energia
O Universo, segundo Stephen Hawking, pode ter buracos negros do tamanho de montanhas que poderiam prover energia suficiente para abastecer nosso planeta.

7. Grande guerra mundial pode ser o fim da raça humana
"O fracasso humano que eu mais gostaria de corrigir é a agressão", disse Hawking em uma palestra no Museu da Ciência de Londres, em 2015. "Pode ter sido uma vantagem para a sobrevivência na época dos homens das cavernas, para conseguir mais comida, território ou parceiros para reprodução, mas agora é uma ameaça que pode destruir todos nós", afirmou o físico, que acrescentou que uma grande guerra mundial significaria o fim da civilização e talvez o fim da raça humana. 

Ministério da Defesa da Índia/Xinhua
 8. Engenharia genética ameaça mais que as armas nucleares
Em 2001, Hawking disse ao jornal britânico Daily Telegraph que a raça humana enfrenta a perspectiva de ser exterminada por um vírus criado por ela mesma. "No longo prazo, fico mais preocupado com a biologia. Armas nucleares precisam de instalações grandes, mas engenharia genética pode ser feita em um pequeno laboratório. Você não consegue regulamentar cada laboratório do mundo. O perigo é que, seja por um acidente seja algo planejado, criemos um vírus que possa nos destruir", disse o cientista. 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos