Topo

Pegadas de 20 mil anos mostram que humanos caçavam preguiças de 5 toneladas

Alex McClelland/Bournemouth University
Ilustração refaz caça de preguiças gigantes pelos homens Imagem: Alex McClelland/Bournemouth University

Do UOL, em São Paulo

2018-04-25T16:04:35

25/04/2018 16h04

Arqueólogos suspeitam que, na Pré-História, seres humanos caçavam preguiças gigantes a ponto de contribuir para a extinção dessa espécie de cinco metros de altura e cinco toneladas. Mas não fizeram isso sem deixar rastros: pistas dessa "matança" foram encontradas por arqueólogos no Monumento Nacional White Sands, nos Estados Unidos, conforme estudo publicado na revista Science  Advances nesta quarta-feira (25).

As pegadas fossilizadas são do fim do período Pleistoceno, há cerca de 20 mil anos. Elas mostram marcas de pés humanos dentro das impressões das patas das preguiças terrestres gigantes -- animais da ordem Folivora, caracterizadas pelas garras afiadas.

"As interações predador-presas reveladas pelos fósseis são extremamente raras", dizem os pesquisadores liderados por David Bustos, do National Monument. A equipe estuda pegadas fossilizadas há décadas para tentar entender como diferentes espécies se relacionavam. 

"Geologicamente, os rastros de preguiça e humanos foram feitos contemporaneamente, afirmam os arqueólogos. Quando associadas às trajetórias de humanos, as pegadas das preguiças revelam um comportamento defensivo, como se esses animais estivessem em fuga.

Para os pesquisadores, tal cenário indica que os humanos, após selecionarem suas presas, ficavam à espreita para surpreendê-las e as perseguiam até abatê-las.

No fim do Pleistoceno, diversos grandes mamíferos foram extintos. A ação de caçadores humanos pode estar associada ao desaparecimento dessas criaturas, segundo os autores.

Matthew Bennett/Bournemouth University
Duas trilhas de pegada humanas no White Sands National Monument Imagem: Matthew Bennett/Bournemouth University

Mais Ciência e Saúde