Dengue pode ser transmitida durante o sexo, diz estudo

Da Ansa

  • James Gathany/Centers for Disease Control and Prevention via AP

Um estudo do Instituto Nacional para Doenças Infecciosas Lazzaro Spallanzani (Inmi), com sede em Roma, na Itália, indicou que o vírus da dengue também pode ser transmitido por via sexual. A pesquisa da entidade, divulgada na publicação médica europeia "Eurosurveillance", detectou a presença do vírus no líquido seminal de um italiano de 50 anos curado da dengue contraída em uma viagem à Tailândia.

Leia também:

Os testes ocorreram no laboratório de virologia do instituto, mediante técnicas de biologia molecular, em janeiro de 2018, nove dias após o diagnóstico de dengue no paciente. O estudo revelou que o vírus permanece em replicação ativa no líquido seminal até 37 dias depois do surgimento dos primeiros sintomas.

Ainda não havia sido comprovada a hipótese de contaminação da dengue por via sexual, ao contrário do vírus zika. "O Inmi está empenhado em estudar patologias e vírus emergentes, como chikungunya, dengue e zika. Nos esforçamos para compreender por quanto tempo os pacientes permanecem positivos ao vírus após sua recuperação", explicou o diretor científico do instituto, Giuseppe Ippolito.   

Até o início de abril, o Brasil havia registrado 81.141 casos prováveis de dengue, sendo 31.071 no Centro-Oeste, 27.087 no Sudeste; 13.821 no Nordeste, 6.909 no Norte e 2.253 no Sul. Os dados são do último Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos