Topo

Telescópio capta sinais misteriosos e repetidos do espaço pela 2ª vez

Divulgação/Chime
Os sinais foram identificados pela telescópio do observatório Chime, no Canadá Imagem: Divulgação/Chime

Helton Simões Gomes

Do UOL, em São Paulo

2019-01-10T10:27:53

10/01/2019 10h27

Astrônomos captaram misteriosos e repetidos sinais de rádio vindos de uma fonte desconhecida no espaço.

Os FRB (sigla para "fast radio bursts") foram identificados por um telescópio do observatório CHIME, na Columbia Britânica, Canadá. Os sinais, dizem astrônomos, foram enviados por uma única fonte, que está a cerca de 1,5 bilhão de anos-luz de distância.

Essa é apenas a segunda vez que um fenômeno como esse ocorre.

Até agora, houve apenas uma repetição conhecida de FRB

Ingrid Stair, astrofísica da Universidade da Columbia Britânica

Apesar disso, os astrônomos não sabem apontar ainda qual é a finalidade delas. Ao todo, o telescópio localizou 13 emissões do mesmo sinal, feitas sucessivamente, em agosto de 2018.

"Saber que existe mais uma [série de sinais] sugere que outros podem existir", disse Stair. "Com mais repetidores e mais fontes disponíveis para estudo, nós talvez possamos compreender este quebra-cabeça cósmico -- de onde eles vêm e o que os causa."

A outra ocorrência havia sido registrada em 2012 e havia partido de um ponto no espaço a 2,5 bilhões de anos-luz de distância.

Um detalhe torna a situação ainda mais interessante: o telescópio que captou esses sinais está operando apenas em fase de teste e não em sua capacidade máxima.

Segundo o CHIME, quanto mais sinais de rádio como este forem detectados, mais fácil será determinar sua origem e, mais importante, por que foram emitidos. Para os especialistas do centro, essa segunda série de FRBs já indica que há um padrão de repetição.

Os 13 sinais captados possuem características peculiares. Uma delas é que a frequência das ondas é baixa, de 400 MHz (Megahertz) - anteriormente, os sinais eram de 700 MHz. Os especialistas ainda não possuem uma explicação para isso.

Outra característica é que, aparentemente, os sinais apresentam evidência de que desviaram da fonte original.

Isso poderia significar algum tipo de aglomerado denso como uma remanescente de supernova. Ou [que a fonte estivesse] perto de um buraco central de uma galáxia

Cherry Ng, da Universidade de Toronto

Ainda que a captação dos sinais gere mais perguntas do que respostas, já há gente imaginando que isso é uma forma de comunicação de seres alienígenas.

Os cientistas possuem uma hipótese que pode avivar ainda mais a esperança desses indivíduos: sinais de rádio em baixas frequências podem ser indicativo do ambiente em torno do ponto emissor, como a presença de gases próximos.