Astrônomos encontram estrela em rápida trajetória para fora da galáxia

Irene Klotz

Em Cabo Canaveral

  • S.Geier/Nasa/Hubble/ESA

    Impressão artística da fase de transferência de massa seguida de uma supernova de dupla detonação que leva à ejeção da US 708. Enquanto a ilustração mostra a supernova (abaixo, no centro) e a estrela ejetada (à esquerda) ao mesmo tempo, na realidade a supernova já teria desaparecido muito antes da estrela alcançar essa posição

    Impressão artística da fase de transferência de massa seguida de uma supernova de dupla detonação que leva à ejeção da US 708. Enquanto a ilustração mostra a supernova (abaixo, no centro) e a estrela ejetada (à esquerda) ao mesmo tempo, na realidade a supernova já teria desaparecido muito antes da estrela alcançar essa posição

Astrônomos encontraram uma estrela arremessada através da galáxia mais rápido do que qualquer outra já registrada, impulsionada pela explosão de uma enorme estrela irmã, disseram pesquisadores nesta quinta-feira (5).

A estrela, conhecida como US 708, viaja a cerca de 1.200 quilômetros por segundo, rápido o bastante para que deixe a Via Láctea em cerca de 25 milhões de anos, disse o astrônomo Stephan Geier, do Observatório Europeu do Sul, que opera três telescópios no Chile.

"Nessa velocidade você pode viajar da Terra à Lua em cinco minutos", observou o atrônomo Eugene Magnier, da Universidade do Havaí.

A US 708 não é a primeira estrela encontrada pelos astrônomos movendo-se rápido o suficiente para deixar a galáxia, mas é a única até agora que parece ter sido arremessada pela explosão de uma supernova.

As 20 outras estrelas descobertas até agora dirigindo-se para fora da galáxia provavelmente ganharam impulso ao se aproximarem demais de buracos negros gigantes encontrados no centro da Via Láctea, disseram cientistas em artigo publicado nesta semana na revista Science.

Antes ser arremessada através da galáxia, a US 708 era uma estrela gigante fria, mas teve todo o seu hidrogênio extraído por uma estrela irmã em sua órbita.

Cientistas suspeitam ter sido tal extração o que provocou a explosão da estrela irmã. Caso confirmado, esses tipos de estrelas arremessadas podem fornecer mais dados sobre como ocorrem as explosões de supernovas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos