Mordida de tiranossauro era igual ao peso de três carros e explodia ossos

Nicholas St. Fleur

  • Kirsty Wigglesworth/AP

Não é nenhuma surpresa que o tiranossauro rex tinha uma mordida forte, mas qual era o poder de seus dentes gigantes? Um estudo publicado em 17 de maio sugere que o carnívoro aterrorizante esmagava suas presas com impressionantes 3.500 quilos de força – mais do que o dobro da força da mordida de qualquer espécie viva.

"É o equivalente a colocar três carros pequenos sobre as mandíbulas – é isso que vai esmagá-lo", compara Gregory M. Erickson, paleobiólogo da Universidade Estadual da Flórida e um dos autores do estudo que apareceu no jornal Scientific Reports. "Boom! Ele conseguia perfurar praticamente qualquer coisa que estivesse dentro de sua boca."

Mesmo ossos, segundo Erickson. A descoberta ajuda a fornecer mais evidências para a afirmação de que o T. rex esmigalhava ossos e engolia os fragmentos para seu sustento. O comportamento, conhecido como osteofagia, é visto hoje em mamíferos carnívoros, como lobos cinzentos e hienas pintadas, mas não em répteis.

"Se o animal pode morder o osso, consegue retirar os nutrientes de dentro dele", explica Paul M. Gignac, paleobiólogo da Universidade Estadual de Oklahoma e principal autor do estudo.

Divulgação
Robô recria tiranossauro rex

Essa estratégia de esmagar e ingerir ossos teria sido particularmente útil para o T. rex, segundo os pesquisadores, porque o dinossauro gigante não era apenas uma máquina eficiente de matar, mas também um necrófago oportunista. Quando um deles encontrava uma carcaça, podia desfrutar de uma refeição fácil.

Quando ainda era estudante universitário, em meados dos anos 1990, Erickson ficou curioso para descobrir a força da mordida do T. rex quando um colega mostrou a ele uma pélvis fossilizada de um tricerátopo crivada com cerca de 80 marcas de mordidas.

"Eu me lembro de ter dito a ele: 'Nossa, parece que Clifford, o Grande Cachorro Vermelho, mastigou esse osso'", conta Erickson.

Sua primeira questão era saber se os cortes haviam sido trabalho de algum crocodilo pré-histórico gigante ou de um tiranossauro. Em 1996, ele e outros profissionais relataram que as marcas de furos vinham de um T. rex. Em pesquisas posteriores, Erickson e seus colegas também descobriram evidências de ossos digeridos no excremento fossilizado de um T. rex, o que provava que o animal realmente havia consumido ossos.

A maneira exata como o T. rex conseguia quebrar os ossos ainda não está clara. Então os pesquisadores calcularam a força da mordida do predador pré-histórico usando um modelo de computador que criaram enquanto estudavam o poder da mordida de crocodilos e jacarés atuais.

Como descobrir a força

Para descobrir a força da mordida de um T. rex, que já está extinto há muito tempo, a equipe criou uma mandíbula digital de um deles baseando-se nas características dos músculos encontrados em parentes próximos modernos dos dinossauros, como pássaros e crocodilos. Eles também examinaram vários crânios de T. rex para descobrir como eles mastigavam. Usando essa informação, tiveram a ideia de como os músculos da mandíbula eram distribuídos e então calcularam a força da mordida.

Eles descobriram que um T. rex adulto poderia fechar a boca com uma força de quase 3.600 quilos. Hoje, o campeão dos mastigadores, o crocodilo australiano de água salgada, pode exercer cerca de 1.600 quilos de força. Os humanos conseguem apenas pouco mais de 90 quilos de força.

Os pesquisadores também descobriram que as pontas de cada dente do T. rex gerava uma pressão de cerca de 195 mil quilos por 6,5 centímetros quadrados, o que é mais do que qualquer animal que já foi medido. O formato, tamanho e espaçamento dos dentes longos e cônicos tornavam o T. rex bem equipado para canalizar a força de suas mandíbulas para esmagar os ossos.

Estudos anteriores tentaram quantificar a força da mordida do T. rex. Um deles, de 2012, disse que o animal mordia com cerca de 5.800 quilos de força, enquanto pesquisas mais antigas estimaram valores de mais de 22.650 quilos de força. Mas esses estudos não usaram um modelo que havia sido testado em animais vivos ou fizeram estimativas que simplesmente extrapolaram a força da mordida do crocodilo para o grande corpo dos dinossauros.

"Este é a primeira estimativa empírica realmente sólida da força da mordida do tiranossauro baseada em princípios da engenharia", explica Mark Norell, paleobiólogo do Museu Americano de História Natural, que não fez parte do estudo. Ele afirma que o poder das mandíbulas do T. rex "basicamente faria com que os ossos explodissem".

Stephen Brusatte, paleontólogo da Universidade de Edimburgo que revisou o estudo, disse que a habilidade de morder os ossos faz com que o tiranossauro seja único.

"Era um daqueles superpoderes que fez com que os T. rex se destacassem de todos os outros dinossauros. Um tricerátopo fugindo de um T. rex não tinha qualquer chance", afirmou em um e-mail.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos