Por que os ovos de pássaros têm diferentes formas? Observe suas asas

Steph Yin

  • Reprodução/hertspumping

Os das corujas são esféricos, dos beija-flores são elípticos e das narcejas são pontudos.

Todos os ovos de pássaro têm a mesma função: proteger e nutrir um filhote em desenvolvimento. Mas existe uma grande variedade de formas. E isso intrigou os biólogos durante séculos. Agora, no estudo mais abrangente sobre as formas dos ovos publicado em junho na Science, uma equipe de cientistas parece ter encontrado uma resposta.

Os pesquisadores catalogaram a variação natural dos formatos dos ovos através de 1.4 mil espécies de aves. Criaram, então, um modelo matemático para explicá-la e depois procuraram as conexões entre a forma do ovo e outras características importantes dos pássaros. Em uma escala global, os autores chegaram à conclusão que um dos melhores métodos para predizer qual será a forma de ovo é por meio da capacidade de voo da ave: as voadoras mais resistentes tendem a botar ovos longos ou pontiagudos.

"Este artigo é notável porque cria uma teoria muito bem costurada sobre a variedade de formas de ovos que há na natureza", disse Claire Spottiswoode, ecologista especialista em pássaros da Universidade de Cambridge e da Universidade da Cidade do Cabo, que não participou da pesquisa.

No novo estudo, os autores conduziram uma investigação com várias etapas, que reuniu biologia, ciência da computação, matemática e física. Eles primeiro desenvolveram um programa de computador, chamado Eggxtractor, que classificou diferentes ovos com base em suas elipses e assimetria. Ovos elípticos são alongados e redondos nas duas extremidades, como pepinos. Já os assimétricos são pontudos em uma extremidade apenas, como abacates.

Com o Eggxtractor, os pesquisadores analisaram quase 50 mil ovos, com representação de todas as principais aves, a partir de um banco de dados de imagens digitais disponibilizado pelo Museu de Zoologia de Vertebrados de Berkeley, na Califórnia.

"Vimos então que o ovo varia entre formas esféricas e elípticas. Alguns até muito pontudos", disse Mary Caswell Stoddard, professora assistente de ecologia e biologia evolucionária da Universidade de Princeton e principal autora do estudo.

Depois, os pesquisadores tentaram responder como os ovos podem adquirir essas diferentes formas. Em vez de examinar a casca, eles se concentraram na membrana do ovo (aquela película que você vê quando descasca um ovo cozido), que é essencial para o formato.

Os cientistas identificaram dois aspectos que poderiam influenciá-lo: variação na composição da membrana e as diferentes pressões aplicadas nela antes de o ovo chocar.

Ajustando estes dois parâmetros, "fomos capazes de recuperar completamente toda a gama das formas observadas". O que é um bom teste do modelo, disse L. Mahadevan, professor de Matemática Aplicada, Biologia e Física na Universidade de Harvard e autor do estudo.

Por fim, os pesquisadores buscaram o motivo para que as formas dos ovos sejam tão diversas. Uma hipótese mais aceita baseia-se na localização do ninho: acreditava-se que pássaros que montavam seus ninhos em penhascos também botassem ovos pontudos, pois, em caso de choque, eles girariam, ao invés de rolar e cair. Outra hipótese sugeriu que as aves põem ovos em formas que se encaixam melhor nos diferentes tamanhos de garras.

Mas, quando os autores relacionaram a forma com essas e outras variáveis, ficaram surpresos ao constatar que nenhum deles se encaixa em uma escala geral (embora possam desempenhar um papel mais importante em escalas menores). Em vez disso, o formato do ovo foi fortemente correlacionado com a medida da forma das asas, o índice chamado de "mão-asa", que reflete a capacidade de voo.

Reprodução
Albatroz de cabeça cinza

Então o que conecta o voo à forma do ovo? Em geral, as aves querem colocar tantos nutrientes quanto possível em seus ovos. Mas, para voar, devem manter seus corpos saudáveis – o que significa que seus ovos não podem ser muito grandes.

Os Airos, por exemplo, são rápidos, poderosos voadores e têm ovos assimétricos, como os pássaros maçariquinhos, que migram longas distâncias.

O errante albatroz é um dos voadores de maior alcance – sabe-se que alguns cruzam o Oceano Antártico três vezes em um ano – e seus ovos são elípticos.

A coruja Megascopsasio raramente ultrapassa seu pequeno território, onde tende a voar pouco, planar em baixa potência e possuir ovos praticamente esféricos.

"Talvez, evolutivamente, os pássaros tenham se deparado com esta solução muito natural e geométrica, que consiste em aumentar a forma elíptica e a assimetria dos seus ovos", disse Mahadevan, dessa maneira eles conseguem maior volume sem aumento de diâmetro. Contudo, acrescentou que essa explicação requer mais pesquisa.

Em última análise, o estudo mostra que "podemos desafiar velhas suposições", disse Stoddard. "Em algo tão familiar e comum quanto um ovo de pássaro há ainda descobertas que levam a novas verdades."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos