PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Chico Alves


Em guerra com Grupo Globo, Crivella negocia Grupo B de Carnaval com Rede TV

Prefeito Marcelo Crivella - Reprodução/Facebook
Prefeito Marcelo Crivella Imagem: Reprodução/Facebook
Chico Alves

Chico Alves é jornalista, por duas vezes ganhou o Prêmio Embratel de Jornalismo e foi menção honrosa no Prêmio Vladimir Herzog. Foi editor-assistente na revista ISTOÉ e editor-chefe do jornal O DIA. É co-autor do livro 'Paraíso Armado', sobre a crise na Segurança Pública no Rio, em parceria com Aziz Filho.

Colunista do UOL

06/12/2019 16h23

Depois de cortar a subvenção de R$ 500 mil às escolas de samba do Grupo Especial do Sambódromo, cujo desfile é transmitido pela TV Globo, o prefeito Marcelo Crivella pretende investir em um novo front do Carnaval. Ele entrou em contato com a direção da Rede TV! e negocia patrocinar a transmissão de parte dos desfiles das agremiações dos grupos B, C e D, que tradicionalmente se apresentam na Avenida Intendente Magalhães, no bairro de Campinho, zona Norte da cidade.

Caso a parceria se concretize, será a primeira vez que os desfiles da Intendente terão transmissão de uma rede nacional de televisão. As escolas se apresentam de sábado a terça-feira ali sem cobrança de ingressos, e pela limitação de recursos não há o mesmo luxo que é visto na Sapucaí.

Em agosto, Crivella anunciou que as escolas do Grupo Especial não receberiam aporte da prefeitura, sob a alegação de que não daria mais ajuda financeira a nenhum evento que cobre ingresso. Por isso, o prefeito foi muito criticado pelos integrantes das principais agremiações do Rio, que tiveram que recalcular seus orçamentos e estão sendo obrigados a produzir o desfile com muito mais limitações.

Com essa iniciativa, Crivella pretende ganhar argumento para rebater quem o acusa de ser contra o samba. Terá também um veículo para mostrar as escolas dos grupos B, C e D, num momento em que está em guerra com o Grupo Globo — recentemente, o prefeito anunciou que não responderia aos questionamentos do jornal O Globo e excluiu a publicação do convite para a entrevista coletiva sobre o esquema da festa de Réveillon.

Em outubro. Crivella entregou cheque de R$ 3 milhões ao representante da Liga Independente das Escolas de Samba do Brasil (Liesb), que representa as 57 agremiações que passam pela Intendente no Carnaval.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Chico Alves