PUBLICIDADE
Topo

Operações contra Paes e Crivella devem levar PSL a candidato próprio no Rio

Marcelo Crivella e Eduardo Paes - Reprodução de vídeo
Marcelo Crivella e Eduardo Paes Imagem: Reprodução de vídeo
Chico Alves

Chico Alves é jornalista, por duas vezes ganhou o Prêmio Embratel de Jornalismo e foi menção honrosa no Prêmio Vladimir Herzog. Foi editor-assistente na revista ISTOÉ e editor-chefe do jornal O DIA. É co-autor do livro 'Paraíso Armado', sobre a crise na Segurança Pública no Rio, em parceria com Aziz Filho.

Colunista do UOL

10/09/2020 10h50

Em tempos de criminalização da política, o Ministério Público do Rio pode acabar como fiel da balança para definir as candidaturas a prefeito da capital fluminense. Com as operações de busca e apreensão feitas contra Eduardo Paes, na terça-feira, e contra Marcelo Crivella, na manhã de hoje, o MP afasta os dois de uma desejada aliança com o PSL.

No Rio, o partido continua bolsonarista.

Se esse afastamento se confirmar, os pesselistas deverão ter candidato próprio à prefeitura, provavelmente o deputado federal Luiz Lima.

Paes e Crivella continuam, no entanto, esperançosos de contar com a legenda na campanha. Paes mantém as conversas com parlamentares do PSL e Crivella usa o encontro com o presidente Jair Bolsonaro, que hoje visita o Rio, para tentar se aproximar de um acordo.

No entanto, para a bandeira da moralidade, que é uma das prioridades da legenda, apoiar o ex-prefeito ou o atual depois das operações de busca e apreensão seria ruim eleitoralmente, acreditam os caciques partidários.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.