PUBLICIDADE
Topo

Comissão Arns

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Desagravo aos jornalistas agredidos por seguranças de Bolsonaro

31.out.2021 - Jornalistas são alvo de agressão em Roma, na Itália - Reprodução
31.out.2021 - Jornalistas são alvo de agressão em Roma, na Itália Imagem: Reprodução
Comissão Arns

Ailton Krenak (líder indígena e ambientalista), André Singer (cientista político e jornalista), Antônio Cláudio Mariz de Oliveira (advogado, ex?presidente da OAB-SP), Belisário dos Santos Jr. (advogado, membro da Comissão Internacional de Juristas), Cláudia Costin (professora universitária, ex-ministra da Administração), Fábio Konder Comparato (advogado, doutor Honoris Causada Universidade de Coimbra, professor emérito da Faculdade de Direito da USP), José Carlos Dias (advogado, ex-ministro da Justiça), José Gregori (advogado, ex-ministro da Justiça), José Vicente (reitor da Faculdade Zumbi dos Palmares), Laura Greenhalgh (jornalista), Luiz Carlos Bresser-Pereira (economista, ex-ministro da Fazenda, da Administração e da Reforma do Estado), Luiz Felipe de Alencastro (historiador, professor da Escola de Economia da FGV/SP e professor emérito da Sorbonne Université), Margarida Bulhões Pedreira Genevois (presidente de honra da Comissão Arns, ex-presidente da Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de São Paulo), Maria Hermínia Tavares de Almeida (cientista política, professora titular da Universidade de São Paulo), Maria Victoria Benevides (socióloga e cientista política, professora titular da Faculdade de Educação da USP), Oscar Vilhena Vieira (jurista, professor da Faculdade de Direito da FGV/SP), Paulo Vannuchi (jornalista, cientista político, ex-ministro de Direitos Humanos), Paulo Sérgio Pinheiro (presidente da Comissão Arns, cientista político, ex-ministro da Secretaria de Estado de Direitos Humanos), Sueli Carneiro (filósofa, feminista, ativista anti-racista e diretora do Gelidés), Vladimir Safatle (filósofo, professor do Departamento de Filosofia da USP)

01/11/2021 20h55

Nota Pública #40 - A Comissão de Defesa dos Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns - Comissão Arns vem a público manifestar o seu mais veemente repúdio às agressões sofridas por jornalistas brasileiros na cidade de Roma, neste domingo, 31 de outubro, durante passeio do presidente Jair Bolsonaro e sua comitiva pela capital italiana.

É estarrecedor constatar que a violência contra os profissionais da imprensa tenha ocorrido aparentemente com o propósito de livrar o presidente brasileiro do contato com quem precisa, por dever do ofício, apurar e levar informação ao público. Não seria diferente em um evento da relevância da Cúpula do G20, com a qual Jair Bolsonaro em nada contribuiu, a não ser com a sua irrelevância e capacidade de mentir sobre a nossa realidade.

Estas violações não devem ficar impunes. É preciso investigar o que levou funcionários pagos pelo Estado brasileiro a agredir compatriotas que atuavam no estrito cumprimento do dever profissional. Também elucidar como e por que agentes de segurança da Itália participaram das mesmas cenas deploráveis. Para obter estes e outros esclarecimentos, a Comissão Arns informa que entrará com representações junto a autoridades brasileiras e italianas.

Aos jornalistas da BBC Brasil, Folha de S. Paulo, TV Globo e UOL, vítimas de uma violência que nos indigna e envergonha ao mesmo tempo, manifestamos a nossa profunda solidariedade. Temos certeza de que estes profissionais seguirão em frente em seu trabalho diário, na defesa do direito à informação, da liberdade de expressão e da democracia.

Comissão Arns

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL