PUBLICIDADE
Topo

Comissão Arns

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Solidariedade aos ex-ministros e ex-secretários de Direitos Humanos

população sociedade  - PeterPencil/Getty Images
população sociedade Imagem: PeterPencil/Getty Images
Comissão Arns

Ailton Krenak (líder indígena e ambientalista), André Singer (cientista político e jornalista), Antônio Cláudio Mariz de Oliveira (advogado, ex?presidente da OAB-SP), Belisário dos Santos Jr. (advogado, membro da Comissão Internacional de Juristas), Cláudia Costin (professora universitária, ex-ministra da Administração), Fábio Konder Comparato (advogado, doutor Honoris Causada Universidade de Coimbra, professor emérito da Faculdade de Direito da USP), José Carlos Dias (advogado, ex-ministro da Justiça), José Gregori (advogado, ex-ministro da Justiça), José Vicente (reitor da Faculdade Zumbi dos Palmares), Laura Greenhalgh (jornalista), Luiz Carlos Bresser-Pereira (economista, ex-ministro da Fazenda, da Administração e da Reforma do Estado), Luiz Felipe de Alencastro (historiador, professor da Escola de Economia da FGV/SP e professor emérito da Sorbonne Université), Margarida Bulhões Pedreira Genevois (presidente de honra da Comissão Arns, ex-presidente da Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de São Paulo), Maria Hermínia Tavares de Almeida (cientista política, professora titular da Universidade de São Paulo), Maria Victoria Benevides (socióloga e cientista política, professora titular da Faculdade de Educação da USP), Oscar Vilhena Vieira (jurista, professor da Faculdade de Direito da FGV/SP), Paulo Vannuchi (jornalista, cientista político, ex-ministro de Direitos Humanos), Paulo Sérgio Pinheiro (presidente da Comissão Arns, cientista político, ex-ministro da Secretaria de Estado de Direitos Humanos), Sueli Carneiro (filósofa, feminista, ativista anti-racista e diretora do Gelidés), Vladimir Safatle (filósofo, professor do Departamento de Filosofia da USP)

02/11/2021 18h37

A Comissão de Defesa dos Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns - Comissão Arns presta sua integral solidariedade aos ex-ministros e ex-secretários de Estado de Direitos Humanos, em face de recente insinuação caluniosa que lhes foi lançada pelo presidente da República, assim como manifestar seu repúdio aos constantes ataques à comunidade de direitos humanos perpetrados pelo chefe do governo brasileiro.

Em 10 de outubro deste ano, por ocasião do Simpósio de Cidadania Cristã, realizado na Igreja Batista Central de Brasília, o presidente Jair Bolsonaro insinuou, de maneira maliciosa e infame, que ex-ministros de Direitos Humanos incentivaram a prática de pedofilia.

Como decorrência dessa manifestação, dez ministros e secretários de Estado dos Direitos Humanos, dos governos Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, apresentaram uma interpelação criminal, junto ao Supremo Tribunal Federal, exigindo explicações do presidente.

Ao atacar de maneira vil autoridades que contribuíram com a consolidação dos direitos humanos como uma política de Estado, o presidente se insurge mais uma vez contra os próprios direitos humanos consagrados na Constituição de 1988 e nos tratados dos quais o Brasil faz parte.

Comissão Arns

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL