PUBLICIDADE
Topo

Jamil Chade

Covid: Brasil tem queda de 24% em casos, mas lidera em mortes nas Américas

Jamil Chade

Jamil Chade é correspondente na Europa há duas décadas e tem seu escritório na sede da ONU em Genebra. Com passagens por mais de 70 países, o jornalista paulistano também faz parte de uma rede de especialistas no combate à corrupção da entidade Transparência Internacional, foi presidente da Associação da Imprensa Estrangeira na Suíça e contribui regularmente com veículos internacionais como BBC, CNN, CCTV, Al Jazeera, France24, La Sexta e outros. Vivendo na Suíça desde o ano 2000, Chade é autor de cinco livros, dois dos quais foram finalistas do Prêmio Jabuti. Entre os prêmios recebidos, o jornalista foi eleito duas vezes como o melhor correspondente brasileiro no exterior pela entidade Comunique-se.

Colunista do UOL

04/08/2021 07h56

Dados publicados nesta quarta-feira pela OMS (Organização Mundial da Saúde) revelam que o Brasil registrou uma queda de 24% em novos casos de contaminação do novo coronavírus na semana que terminou no domingo, numa comparação com os sete dias anteriores. Apesar da redução, o país continua liderando nas Américas no que se refere aos mortos pela covid-19.

De acordo com a agência, o mundo registrou mais de 4 milhões de novas contaminações na semana. A tendência de alta já dura mais de um mês e a OMS teme que a variante delta e as inconsistências de medidas de saúde pública estejam impedindo um maior controle sobre a crise sanitária.

Apesar do aumento, a OMS registrou uma queda de 8% nas mortes, em parte como resultado da vacinação em várias partes do mundo. Mas as taxas continuam elevadas, com mais de 64 mil mortos em apenas uma semana.

No total, desde o início da pandemia, o mundo já registrou oficialmente 197 milhões de casos e 4,2 milhões de mortes. Mantido o ritmo, a covid-19 vai superar a marca de 200 milhões de casos no início da próxima semana.

Um dos destaques positivos, porém, foi a situação nas Américas. O continente manteve o registrou de 1,2 milhão de novos casos na semana. Retornando para a liderança, os EUA registraram 543 mil novas contaminações, um aumento de 9%. O Brasil aparece em segundo lugar, com 247 mil novos casos e queda de 24% em comparação à semana anterior.

Numa contagem global, a semana viu o Brasil sair das posições de liderança em contaminações. Hoje, o maior número de novos casos vem dos EUA, seguido pela Índia e Indonésia. O Brasil aparece apenas na quarta posição, depois de meses liderando ou estando em segundo lugar no ranking divulgado semanalmente pela OMS.

Mortes: Brasil ainda lidera nas Américas

Apesar da mudança de rota, o Brasil continua registrando o maior número de mortos da região das Américas, com 7,1 mil óbitos na semana, uma queda de 10% em comparação ao período de sete dias em meados de julho. O México vem em segundo lugar, com 2,5 mil óbitos e 2,4 mil nos EUA.

A redução no Brasil e uma correção no caso do Equador acabaram contribuindo para uma queda geral das mortes nas Américas em 29%, para 20 mil óbitos. Ainda assim, o número de mortes no Brasil na semana foi praticamente o mesmo de toda a Europa, com seus mais de 40 países.

A OMS, em seu informe, também destaca como as variantes continuam ganhando terreno. A Alpha já está presente em 182 países, contra 132 no caso da Beta, 81 no caso da Gamma e 135 países com registros da variante delta, considerada como a mais perigosa.