PUBLICIDADE
Topo

Sob Bolsonaro, Wajngarten gerencia 'Bolsa Mídia'

Apesar dos protestos da oposição, reforma da Previdência foi aprovada por ampla margem no plenário da Câmara. Foto:Michel Jesus/Câmara dos Deputados
Imagem: Apesar dos protestos da oposição, reforma da Previdência foi aprovada por ampla margem no plenário da Câmara. Foto:Michel Jesus/Câmara dos Deputados
Josias de Souza

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na "Folha de S.Paulo" (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro "A História Real" (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de "Os Papéis Secretos do Exército".

Colunista do UOL

27/01/2020 05h30

Antes mesmo de sentar-se no trono, Jair Bolsonaro já havia declarado, em outubro de 2018, que é "totalmente favorável à liberdade de imprensa". Mas preocupara-se em esclarecer: "Temos a questão da propaganda oficial do governo, que é uma outra coisa." Veículo de comunicação que se comportar de "maneira indigna", avisara o capitão, "não terá recurso do governo federal."

Notícia veiculada nesta segunda-feira pela Folha indica que, na gestão de Fabio Wajngarten, chefe da Secretaria de Comunicação do Planalto, certos veículos de fato não perdem por esperar. Ganham! Na campanha sobre a reforma da Previdência, receberam fatias mais generosas do bolo publicitário as emissoras que apoiam Bolsonaro ou são clientes de uma firma de Wajngarten.

Afora o conflito de interesses que sujeita Wajngarten a um processo por improbidade administrativa, a Secom rasga as normas que atrelam a contratação da publicidade governamental à audiência do contratado. Dona dos maiores índices, a Globo, vista por Bolsonaro como inimiga, foi preterida no rateio da verba.

Criou-se sob Bolsonaro algo muito parecido com um programa "Bolsa Mídia." Sua implementação alimenta a ilusão de que o pedaço da imprensa que imprensa pode ser asfixiado. Na nova era, o Brasil está acima de tudo, Deus se mantém acima de todos" e Bolsonaro tem a pretensão de estar acima de qualquer suspeita. Isso costuma terminar em inquérito.

Josias de Souza