PUBLICIDADE
Topo

Sob Bolsonaro, a 'marolinha' de Lula vira 'fantasia'

TOM BRENNER
Imagem: TOM BRENNER
Josias de Souza

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na "Folha de S.Paulo" (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro "A História Real" (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de "Os Papéis Secretos do Exército".

Colunista do UOL

10/03/2020 15h21

Jair Bolsonaro sempre declarou que não entende nada de economia. Por isso, encostou seu governo no Posto Ipiranga. Mas isso é coisa do passado. Num instante em que os economistas mais renomados quebram a cabeça para estimar os danos colaterais que o coronavírus produzirá, o capitão chamou de "fantasia" a turbulência que deprime os negócios e leva o mundo a flertar com uma recessão.

A "fantasia" de Bolsonaro é uma versão atualizada da "marolinha" que Lula enxergou na crise econômica de 2008. A exemplo da divindade petista, o mito do bolsonarismo também atribui a infecção de pessimismo inoculada no sistema financeiro mundial ao inimigo de sempre: a imprensa. Nas palavras de Bolsonaro, o coronavírus "não é isso tudo que a grande mídia propaga."

Deve-se a Donald Trump, não ao ministro Paulo Guedes, o curso intensivo que guindou Bolsonaro em poucas horas da condição de neófito à posição de economista de mostruário. De passagem pelos Estados Unidos, o mito jantou com Trump na noite de sábado. E passou a macaquear o discurso do seu ídolo, que também se esmera em reduzir a importância da crise.

Seguro de si, Bolsonaro desdenhou também do curto-circuito que a Arábia Saudita provocou ao medir forças com a Rússia em torno da cotação do petróleo. "Alguns da imprensa conseguiram fazer de uma crise a queda do preço do petróleo (?) É melhor cair 30% do que subir 30% do preço do petróleo. Mas isso não é crise. Obviamente, problemas na Bolsa, isso acontece esporadicamente. Como estamos vendo agora há pouco, as bolsas que começam a abrir hoje já começam com sinais de recuperação."

Num ponto, Bolsonaro tem razão. As crises na economia passam. Mal comparando, Átila também passava. O problema era a situação em que ficavam o gramado e a vegetação ao redor depois da passagem do rei dos hunos.

Josias de Souza