PUBLICIDADE
Topo

Mandetta corre risco de tornar-se um ex-Mandetta

Josias de Souza

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na "Folha de S.Paulo" (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro "A História Real" (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de "Os Papéis Secretos do Exército".

Colunista do UOL

25/03/2020 19h43

Jair Bolsonaro lidava com duas crises. Uma sanitária e outra econômica. Conseguiu produzir uma terceira: a crise política. Além de exibir em rede nacional um pronunciamento que vai na contramão do mundo, de bater boca com o governador paulista João Doria numa teleconferência e de perder aliados como o governador goiano Ronaldo Caiado, Bolsonaro conduziu Henrique Mandetta até uma encruzilhada.

O presidente impôs ao ministro da Saúde uma escolha delicada. Ou Mandetta opta pela insubordinação, ignorando as posições do presidente, ou escolhe o caminho da desmoralização.

Não há meio termo, porque Bolsonaro defendeu em rede de rádio e de TV o oposto do que vinha recomendando o ministro. Ele sustentou que é preciso "voltar à normalidade", com a reabertura das escolas e do comércio. Absteve-se de definir normalidade.

Mandetta, ao contrário, já deixou claro que a anormalidade ainda nem começou. "Em final de abril", previu o ministro, "nosso sistema [de saúde] entra em colapso".

O que é colapso? O ministro esclareceu: "É quando você pode ter o dinheiro, o plano de saúde, a ordem judicial, mas simplesmente não há o sistema para você entrar."

Esse Bolsonaro que conspira contra Mandetta é bem diferente daquele candidato que, na campanha de 2018, prometera prestigiar a técnica em detrimento da política nos ministérios. O Bolsonaro que está no Planalto é indigno do Bolsonaro que se apresentou aos eleitores.

O ministro da Saúde vai permanecendo no cargo. Promove ajustes em seu discurso, encostando perigosamente a ciência na política. Mandetta corre o risco de se transformar num ex-Mandetta.

Josias de Souza