PUBLICIDADE
Topo

Josias de Souza

'Recriado o Ministério da Propaganda', ironiza Moro

                                EVARISTO SA/AFP
Imagem: EVARISTO SA/AFP
Conteúdo exclusivo para assinantes
Josias de Souza

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na "Folha de S.Paulo" (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro "A História Real" (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de "Os Papéis Secretos do Exército".

Colunista do UOL

11/06/2020 14h52

Como ministro da Justiça, Sergio Moro trazia suas opiniões na coleira. Não soltou nem na fatídica reunião de 22 de abril, aquela em que foi frontalmente desfeiteado por Bolsonaro. Longe da Esplanada, o ex-juiz concedeu alforria à língua.

Nesta quinta-feira, Moro sentiu-se à vontade para ironizar o ressurgimento da pasta das Comunicações: "Recriado o Ministério da Propaganda. Quais serão os próximos?", anotou no Twitter.

Foi como se o ex-subordinado de Bolsonaro comparasse o ministério seminovo a um velho órgão do Estado Novo. Chamava-se DIP, Departamento de Imprensa e Propaganda. Chefiando-o, o jornalista Lourival Fontes (1899-1967), grande maquiador de imagens, criou para Getúlio Vargas o título de "Pai dos Pobres".

Bolsonaro ainda não se firmou como pai dos desassistidos. Mas Moro parece considerar que o presidente vai se consolidando como uma espécie de mãe do centrão, um grupo que abriga clientes de caderneta da Lava Jato.