PUBLICIDADE
Topo

Bolsonaro tem um adversário novo: o abatimento

Josias de Souza

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na "Folha de S.Paulo" (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro "A História Real" (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de "Os Papéis Secretos do Exército".

Colunista do UOL

23/06/2020 12h34

Brasília convive com uma novidade: o abatimento de Bolsonaro. Quem esteve com o presidente nos dias que se seguiram à prisão do amigo Fabrício Queiroz encontrou-o ressentido e acuado. O temperamento continua corrosivo. Irritadiço, ele capricha nos palavrões. Mas já não exibe o sentimento de invulnerabilidade que ostentava há algumas semanas. O presidente vive uma fase decisiva. Pode redirecionar o seu governo ou conservá-lo no caminho do brejo.

Na definição de um auxiliar de Bolsonaro, o futuro do governo depende de uma revolução. Seria necessário revolucionar a mentalidade do presidente. Isso passaria por duas metamorfoses. Numa, Bolsonaro teria de desenvolver uma capacidade de dialogar a sério com os Poderes Judiciário e Legislativo. Noutra, o presidente precisaria dar ao seu governo um perfil menos ideológico e mais técnico. O brasileiro não quer um mito, deseja resultados.

Josias de Souza