PUBLICIDADE
Topo

Governo cria nova crise dentro da crise ambiental

Josias de Souza

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na "Folha de S.Paulo" (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro "A História Real" (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de "Os Papéis Secretos do Exército".

Colunista do UOL

14/07/2020 13h52

Não é que Jair Bolsonaro tem dificuldades para desfazer a crise que ele mesmo criou no setor do meio ambiente. A questão é que o presidente acredita que pode desfazer a crise ambiental criando outra crise, ainda maior. Num instante em que o governo tenta convencer investidores estrangeiros e empresários brasileiros de que está comprometido com a preservação da Amazônia, surge um novo foco de incêndio que pode devastar o discurso oficial. O Inpe, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, órgão que monitora o desmatamento da floresta, entrou em processo de autocombustão. (veja no comentário acima)

Pelo menos quatro autoridades tentam apagar incêndios no Meio Ambiente. A lista não inclui o ministro da área, Ricardo Salles, que é parte do problema. Esforçam-se para tourear as desconfianças do mercado o vice-presidente Hamilton Mourão; o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto; e os ministros Paulo Guedes (Economia); e Tereza Cristina (Agricultura). Quando tanta gente é mobilizada para resolver um problema e ninguém consegue solucioná-lo, é sinal de que a crise ganhou um ingrediente adicional: a falta de governo.

Auxiliares de Bolsonaro tentam convencê-lo a se livrar de Ricardo Salles, seu ministro antiambiental. Isso ajudaria. Mas o problema que se criou no Meio Ambiente só será resolvido no dia em que Bolsonaro enxergar um culpado no espelho. Ou seja: é melhor "jair se acostumando" com a ideia de contabilizar os prejuízos econômicos que estão por vir.

Josias de Souza