PUBLICIDADE
Topo

Endividados deveriam se reorganizar como igrejas

Josias de Souza

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na "Folha de S.Paulo" (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro "A História Real" (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de "Os Papéis Secretos do Exército".

Colunista do UOL

08/09/2020 11h05

Os brasileiros às voltas com dificuldades financeiras precisam prestar muita atenção nos movimentos da caneta de Jair Bolsonaro. Até sexta-feira, o presidente decidirá se sanciona ou veta projeto aprovado no Congresso para perdoar débitos tributários de igrejas. Coisa de R$ 1 bilhão.

A equipe econômica pede o veto. Mas a bancada da Bíblia dá de barato que Bolsonaro avalizará a anistia. Confirmando-se a hipótese do perdão bilionário, todo brasileiro condenado pelo baixo rendimento a um fim do mês perpétuo deveria considerar a ideia de desistir de sua pobre existência como pessoa física para se reorganizar como igreja. Em tempos de crise, não há melhor camuflagem.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL