PUBLICIDADE
Topo

Josias de Souza

Mourão afirma que não existe decreto de Bolsonaro sobre medidas restritivas

Josias de Souza

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na "Folha de S.Paulo" (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro "A História Real" (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de "Os Papéis Secretos do Exército".

Colunista do UOL

10/05/2021 16h31

Bolsonaro vem brandindo nos últimos dias a ameaça de editar um decreto para rever medidas sanitárias restritivas adotadas por governadores e prefeitos. Na sexta-feira (7), discursando em Rondônia, o presidente assegurou que o decreto "já está pronto." Nesta segunda-feira (10), em entrevista ao UOL, o vice-presidente Hamilton Mourão declarou que o decreto "não existe".

Segundo Mourão, "deve-se prestar muito mais atenção nos atos do que nas palavras" de Bolsonaro, pois o presidente tem uma retórica "exaltada" que leva a "interpretações" sobre fatos que "jamais irão acontecer".

No discurso de sexta-feira, feito durante a inauguração de uma ponte sobre o rio Madeira, que liga Rondônia ao Acre, Bolsonaro reiterou que seu hipotético decreto, uma vez baixado, terá de ser cumprido por todos. Por quê? "Esse decreto nada mais é do que uma cópia dos incisos do artigo 5º da Constituição."

O presidente classificou como "sagrados" o "direito de ir e vir", a "liberdade de crença" e o "trabalho." Afirmou que já "não se justifica fechar qualquer ponto do nosso Brasil." Nas palavras de Mourão, o decreto presidencial não se justifica porque "as coisas estão funcionando quase que normalmente."

Bolsonaro costuma associar a ameaça de edição do decreto à hipótese de acionar as Forças Armadas. Já insinuou que pode enviar os militares às ruas para deter supostas ameaças à livre circulação das pessoas.

"A minha Marinha, o meu Exército e a minha Aeronáutica jogam dentro das quatro linhas da Constituição", declarou o presidente em Rondônia. Na entrevista ao UOL, Mourão jogou água fria na fervura. Disse ter ouvido comentários que indicam que "o decreto não existe."

Vai abaixo a 'integra da entrevista com o vice-presidente Hamilton Mourão: