PUBLICIDADE
Topo

Josias de Souza

CPI da Covid viveu uma semana de 'Comissão Pra Lamentar de Inquérito'

Josias de Souza

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na "Folha de S.Paulo" (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro "A História Real" (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de "Os Papéis Secretos do Exército".

Colunista do UOL

18/06/2021 10h50

A CPI da Covid entrou para o rol da fama das CPIs que conseguiram se firmar como um fenômeno popular. Às voltas com a necessidade de administrar o seu próprio sucesso, a CPI tem dificuldades para combinar o espetáculo que se desenvolve no palco, sob refletores, com o trabalho árduo dos bastidores, que envolve a análise de dados e documentos. Nessa fase de transição, a CPI viveu uma semana de "Comissão Pra Lamentar de Inquérito". Começou fornecendo refletores para que o ex-governador Wilson Witzel, cassado por corrupção, transportasse para a cena federal a disputa paroquial que trava no Rio com a família Bolsonaro. Terminou com uma sessão-cloroquina, estrelada por dois médicos recrutados pelo Planalto. (Veja no comentário).