PUBLICIDADE
Topo

Josias de Souza

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Bolsonaro soa como candidata a miss que escancara as próprias estrias

só para assinantes
Josias de Souza

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na "Folha de S.Paulo" (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro "A História Real" (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de "Os Papéis Secretos do Exército".

Colunista do UOL

15/06/2022 10h57

Bolsonaro encontrou uma maneira inusitada de se aproximar da maioria do eleitorado. Dando razão aos 54% dos eleitores que, segundo o Datafolha, declaram que jamais votariam nele, Bolsonaro declarou que não leva jeito para ser presidente. "Não tinha nada para estar aqui", ele declarou. "Nasci pra ser militar, fiquei por 15 anos no Exército brasileiro, entrei na política meio por acaso. Passei 28 anos dentro da Câmara."

Bolsonaro puxou cadeia no quartel e foi expurgado do Exército a contragosto. Em quase três décadas de Câmara, não produziu nada além de rachadinhas, elogios à ditadura e seus torturados, polêmicas e agressões. No Planalto, instalou uma usina de crises que é o único empreendimento que prosperou durante todo o mandato. Diante de uma biografia assim, o Bolsonaro soou modesto no discurso que fez a empresários reunidos num fórum de investimentos. Na verdade, ele não leva jeito para ser militar, parlamentar ou presidente.

A julgar pelo teor do discurso que serviu aos empresários, o presidente está vocacionado para a indústria da demolição. Depois de demolir o que restava de políticas públicas em áreas estratégicas como educação, na saúde e no meio ambiente, depois de demolir o muro que separava os quarteis da política, após implodir a agenda liberal de Paulo Guedes... depois de tudo isso, Bolsonaro dedica-se a demolir as instituições.

Ao afirmar que não leva jeito para presidente, o capitão se comporta como uma mocinha que se inscreve num concurso de miss, anexando ao pedido inscrição as fotos de suas estrias. É como se Bolsonaro informasse aos eleitores que não dispõe mesmo de encantos para ser reeleito.