PUBLICIDADE
Topo

Juliana Dal Piva

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Secretários e deputados fazem festa na sede do Corpo de Bombeiros do Rio

Leandro Monteiro, comandante do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro - Corpo de Bombeiros/Divulgação
Leandro Monteiro, comandante do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro Imagem: Corpo de Bombeiros/Divulgação
Juliana Dal Piva

Juliana Dal Piva é formada pela Universidade Federal de Santa Catarina e possui mestrado pelo Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (CPDOC) da Fundação Getulio Vargas. Trabalhou nos jornais O Dia, Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo, O Globo e revista Época. Obteve oito premiações de jornalismo. Entre elas, o Prêmio Líbero Badaró de jornalismo impresso em 2014 e também foi menção honrosa do Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos. Em 2019, recebeu ainda o Prêmio Relatoría para la Libertad de Expresión (RELE) da Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA, pelo trabalho "Em 28 anos, clã Bolsonaro nomeou 102 pessoas com laços familiares".

Colunista do UOL

25/02/2021 12h18

Em plena pandemia de covid-19, o quartel central do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro sediou na noite de ontem uma festa que reuniu secretários estaduais, deputados fluminenses e outros políticos locais.

A confraternização ocorreu dentro do salão nobre do quartel e foi regada a vinhos, caldo de cogumelos shitake, saladas e frios. Até a banda da corporação chegou a se apresentar para os convidados, chamados pelo próprio comandante, Leandro Monteiro.

Estiveram presentes, entre diversos políticos fluminenses, o presidente da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio), André Ceciliano, e os secretários estaduais, Carlos Chaves (Saúde), André Lazaroni (Governo), Allan Turnowski (Polícia Civil), Thiago Pampolha (Ambiente e Sustentabilidade), Gustavo Tutuca (Turismo), José Luiz Zamith (Planejamento, Gestão e Governança).

Além dos políticos, a confraternização teve a presença da promoter Carol Sampaio. Procurada, ela não retornou aos contatos da coluna.

Os secretários, deputados e políticos passaram a ser chamados para o evento desde o início da semana. Um dos convidados contou, anonimamente, que foi pedida uma contribuição de R$ 500 para a divisão das despesas com bebida e comida.

O comandante do Corpo de Bombeiros, Leandro Monteiro disse que o evento não foi uma festa, mas uma reunião para tratar de vários projetos. "Não estava cheio. Uma pessoa que foi convidada levou a Carol Sampaio", informou Monteiro, pela assessoria de imprensa.

Questionado pela coluna sobre o evento, o presidente da Alerj disse que o encontro ocorreu para tratar de ações de governo. "Fui chamado para discutir um programa que vai ser o Baixada Presente, para falar da lei orgânica da Polícia Civil, e para tratar da reforma da previdência dos militares", disse Ceciliano, que confirmou o cardápio e os vinhos.

A coluna questionou se, em plena pandemia, o evento não seria despropositado e poderia passar uma mensagem equivocada para a população. "Não porque não tinha mais de 25 pessoas e era num espaço imenso", disse o presidente da Alerj.

A coluna pediu esclarecimentos, por meio da Subsecretaria de Comunicação, aos secretários que estiveram presentes no evento e aguarda resposta.