PUBLICIDADE
Topo

Após decisão da Justiça, ato pela democracia é transferido de lugar em SP

31.mai.2020 - Ato a favor da democracia e contra o racismo aconteceu neste domingo na avenida Paulista, em São Paulo. O ato foi organizado por torcidas organizadas do Corinthians - Roberto Casimiro/Estadão Conteúdo
31.mai.2020 - Ato a favor da democracia e contra o racismo aconteceu neste domingo na avenida Paulista, em São Paulo. O ato foi organizado por torcidas organizadas do Corinthians Imagem: Roberto Casimiro/Estadão Conteúdo
Leonardo Sakamoto

É jornalista e doutor em Ciência Política pela Universidade de São Paulo. Cobriu conflitos armados em diversos países e violações aos direitos humanos em todos os estados brasileiros. Professor de Jornalismo na PUC-SP, foi pesquisador visitante do Departamento de Política da New School, em Nova York (2015-2016), e professor de Jornalismo na ECA-USP (2000-2002). É diretor da ONG Repórter Brasil, conselheiro do Fundo das Nações Unidas para Formas Contemporâneas de Escravidão e comissário da Liechtenstein Initiative - Comissão Global do Setor Financeiro contra a Escravidão Moderna e o Tráfico de Seres Humanos. É autor de "Pequenos Contos Para Começar o Dia" (2012), "O que Aprendi Sendo Xingado na Internet" (2016), entre outros.

Colunista do UOL

06/06/2020 10h54

Após decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo proibindo a realização de atos simultâneos na avenida Paulista, em São Paulo, neste domingo (7), os organizadores do ato pela democracia, que estava previsto às 14h em frente ao Masp, transferiram a concentração para o Largo da Batata, no bairro de Pinheiros.

"Nós, torcedores articulados no Movimento Somos Democracia, ativistas do movimento negro e da Frente Povo Sem Medo entendemos que essa decisão atenta à liberdade de manifestação. Apesar disso, para garantia da integridade física dos manifestantes, comunicamos a decisão de mudança do local do ato", afirma nota do grupo.

"Reforçamos todas as medidas sanitárias que estão sendo tomadas até aqui, como a criação de uma brigada de saúde para orientação dos manifestantes, a distribuição gratuita de máscaras e álcool gel e o reforço do distanciamento de pelo menos 1,5 m durante a manifestação."

Nesta sexta (5), o TJ-SP proibiu grupos pró e contra o governo Jair Bolsonaro de se manifestarem na via no mesmo dia. De acordo com a decisão, o objetivo seria evitar "confrontos e prejuízos". Três eventos estavam previstos para este domingo: um antirrascista, na parte da manhã, um organizado por apoiadores do presidente da República e o chamado ato pela democracia - transferido agora para o Largo da Batata. O espaço é conhecido por concentrar manifestações progressistas desde junho de 2013.

"Impeço que os grupos manifestantes manifestamente antagônicos entre si se reúnam no mesmo local e data Avenida Paulista, capital, no próximo dia 07 de Junho, evitando-se assim confrontos e prejuízos decorrentes desta realidade, zelando as autoridades administrativas competentes para que tal empreitada possa ter seu efetivo sucesso", diz trecho da decisão do juiz Rodrigo Galvão Medina.

Leonardo Sakamoto