PUBLICIDADE
Topo

Madeleine Lacsko

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Bolsonaro critica carta que provavelmente nem leu

só para assinantes
Madeleine Lacsko

Madeleine Lacsko é jornalista desde 1996. Participa dos think tanks Instituto Montese pela defesa da democracia e Sociedades Digitais e Relações de Poder, da GoNew.Co. Atuou como Consultora Internacional do Unicef Angola na campanha que erradicou a pólio no país, diretora de comunicação da Change.org para a América Latina, assessora no Supremo Tribunal Federal e do presidente da Comissão de Direitos Humanos da Alesp. Trabalhou na Jovem Pan, Antagonista, CCR e Gazeta do Povo.

Colunista do UOL

29/07/2022 18h59

Na Live UOL desta sexta-feira (29), falei sobre as novas críticas do presidente Jair Bolsonaro (PL) à Carta pela Democracia, organizada por ex-alunos da Faculdade de Direito da USP e já assinada por várias personalidades.

Em sua transmissão ao vivo semanal, Bolsonaro afirmou não entender a motivação do documento. "Não consigo entender, estão com medo do quê? Se eu estou três anos e meio no governo e nunca teve uma palavra minha, ação ou gesto. É uma nota política, eleitoral", afirmou e reforçou que nunca teria ameaçado a democracia brasileira.

Com as declarações, Bolsonaro - que já ligou à carta aos bancos e à Fiesp - mostra que não apenas não entendeu sua motivação, mas que provavelmente nem leu o manifesto, escrito de forma cuidadosa para não ter tendência política alguma. Do documento constam, por exemplo, assinaturas de nomes que são contrários a partidarizar uma questão maior como a defesa da democracia.

Sem saber quem são os autores de um texto assinado, Bolsonaro revela que, em vez da leitura do manifesto, está mais preocupado em reverter uma realidade da qual se deu conta: sua presença passou a ser tóxica para parte da elite que já o apoiou.

Na Live UOL de hoje, falamos também sobre a fala de cunho machista e em tom de piada feita por Bolsonaro sobre a primeira-dama e sobre as negociações entre a Caixa Econômica Federal e o Flamengo para a construção de um estádio para o clube, no Rio de Janeiro.

Ao lado de Felipe Moura Brasil, debato os principais assuntos do país diariamente, das 17h às 18h, com transmissão ao vivo nos perfis do UOL no YouTube, no Facebook e no Twitter.